Vídeo mostra o homicídio de indiciado por matar assassino de Glauco

Nilson Ferreira foi morto na manhã dessa segunda, em Aparecida de Goiânia. Ele foi responsável pela morte do assassino do cartunista Glauco

atualizado 23/07/2019 12:55

foto: reprodução/ policia civil

Imagens de câmeras de segurança flagraram o momento em que Nilson Ferreira de Almeida, 51 anos, é morto a tiros em Aparecida de Goiânia, na região metropolitana da capital do estado. Ele estava ao lado do filho, de 25 anos.

O crime aconteceu da manhã dessa segunda-feira (22/07/2019) na Avenida Montenegro, no Jardim Cristal. As imagens mostram quando o autor está transitando na calçada, com um capacete na mão, em direção à vítima. Ele atira, põe o capacete e sai correndo.

“O criminoso chegou no local de moto, aproveitou que o Nilson passou pela rua, e deferiu mais de 12 tiros. [Desses], acertou nele cerca de sete tiros”, explica, com base no laudo, o delegado da Polícia Civil Álvaro Melo, que investiga o caso.

O filho de Nilson, durante a sequência de tiros, se distancia rapidamente do local e não é alvejado pelo criminoso. O jovem vai até a esquina e, quando percebe que o pai não estava com ele, volta até e chama o socorro pelo celular.

Nilson ficou conhecido por ter sido indiciado pela morte do Carlos Eduardo Sundfeld Nunes, o Cadu, que ganhou notoriedade pelo assassinato do cartunista Glauco e do filho dele, Raoni Vilas Boas, em 2014.

Segundo a Polícia Civil, Nilson é um criminoso bastante conhecido na região e estava em regime semiaberto desde março deste ano. Ele tem condenações que somam mais de 60 anos de prisão, fora inquéritos.

“Nilson é conhecido por praticar, junto ao irmão Nelson, muitos crimes na região”, explica o delegado Álvaro. “Um dos crimes, que praticou, mais conhecidos, foi quando ele matou o assassino do cartunista”, relembra.

A Polícia Civil ainda não identificou o assassino que matou Nilson nessa segunda. Pelo criminoso ter aparecido diante das câmeras sem o capacete, os investigadores cogitam alguns nomes, mas preferiram por não divulga-los para não atrapalhar o andamento da operação.

Últimas notícias