Suspeito de integrar PCC é executado com 70 tiros de fuzil em SP

Cláudio Roberto Ferreira, conhecido como o Galo e foragido da Justiça, foi atingindo por mais de 70 disparos

atualizado 24/07/2018 11:16

EDU SILVA/FUTURA PRESS/ESTADÃO

Cláudio Roberto Ferreira, conhecido como o Galo e suspeito de envolvimento com a facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital), foi morto a tiros, na região do Tatuapé, zona leste de São Paulo, por volta das 23h desta segunda-feira (23/7).

Segundo informações da Polícia Militar, a vítima estava em um carro na rua Coelho Lisboa, quando um veículo com quatro pessoas se aproximou e disparos foram efetuados. Relatos preliminares apontam que mais de 70 tiros foram disparados, mas a informação ainda não foi confirmada pela corporação. A vítima chegou a ser socorrida no Pronto Socorro Municipal Tatuapé, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. A ocorrência foi registrada no 31º DP (Vila Carrão).

O carro da vítima tinha blindagem, mas não conseguiu impedir que o motorista fosse atingido pelos disparos. Cláudio foi condenado por roubo a banco em Guarulhos, na Grande São Paulo, que terminou com três mortos, em 2008. Um deles era chefe do PCC.

Galo também foi preso durante uma partida entre Corinthians e Santos pela Copa do Brasil, na Vila Belmiro, em Santos (litoral de São Paulo). O suspeito deixou a prisão por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF). No entanto, o habeas corpus foi revogado, mas ele não se apresentou à Justiça. O crime será investigado pelo DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa). (Com informações do jornal Folha de S.Paulo)

 

Mais lidas
Últimas notícias