Promotor acusado de receber mesada em investigações é preso

Operação ocorreu em desdobramento da força-tarefa da Lava Jato. Bonazza receberia R$ 60 mil por mês, segundo denúncia do MP-RJ

atualizado 03/02/2020 12:04

reprodução/ redes sociais

Em desdobramento da Operação Lava Jato, a Polícia Federal (PF) prendeu o promotor Flávio Bonazza de Assis (foto em destaque), acusado de receber propina de esquema criminoso no transporte público carioca.

Bonazza foi preso em Copacabana (RJ) na manhã desta segunda-feira (03/02/2020). A operação foi batizada de Ponto Final.

Segundo a denúncia do Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ), o promotor recebia R$ 60 mil por mês para arquivar investigações.

Além disso, Bonazza é suspeito de vazar informações em benefício de suspeitos empresários da Fetranspor, a empresa de ônibus.

O preso será conduzido a Superintendência da PF no Rio de Janeiro, onde ficará à disposição da Justiça.

Além de Bonazza, outros quatro envolvidos no esquema foram denunciados pelo MPRJ.

Todos eles foram denunciados por organização criminosa, corrupção ativa e passiva. Os crimes teriam acontecidos entre junho de 2014 e março de 2016.

Últimas notícias