Professor é preso por operação da PF contra pedofilia em SP

O suspeito teria divulgado na "deep web" imagens que gravou de abusos que cometeu com crianças de 5 e 10 anos

atualizado 22/10/2018 10:36

iStock/ Imagem ilustrativa

Na manhã desta segunda-feira (22/10), a Polícia Federal deflagrou a Operação Mestre Impuro, que combate o abuso sexual infantil e sua divulgação na internet. Dois mandados de busca e apreensão foram cumpridos e um homem foi preso na cidade de São Paulo.

Segundo informações divulgadas pela TV Globo, um professor publicou na “deep web” uma grande quantidade de material contendo cenas de sexo em fóruns dedicados à pornografia infantil.

A expressão “deep web” é utilizada para endereços da internet de difícil acesso. Seus conteúdos são normalmente de produtores que preferem o anonimato e utilizam softwares que dificultam a sua identificação. Os endereços eletrônicos, ao contrário dos endereços convencionais, não utilizam o formato HTML, como forma de dificultar o acesso às páginas. Para acessar o conteúdo disponível nessas páginas é necessária a instalação de programas e o uso de códigos.

A investigação apontou que o professor preso além de divulgar material pornográfico infantil, abusava de crianças de cinco e dez anos de ambos os sexos. Ele se aproveitava da proximidade decorrente da profissão para se aproximar das vítimas e então cometer os abusos.

A Polícia Federal já identificou sete vítimas do professor até o momento, e as investigações continuam tentando descobrir se existem mais. Entre as sete crianças estão membros da família, alunas e alunos.

O criminoso será indiciado pelo crime de estupro de vulnerável, previsto no Código Penal, com pena de 8 a 15 anos de reclusão, e também pelo crime de publicação de imagens de pornografia infantil, previsto no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), com penas de 3 a 6 anos de reclusão.

Últimas notícias