Polícia cumpre mandado contra Ricardo Barros, líder do governo na Câmara

Escritório do parlamentar em Maringá (PR) é alvo da ação. Operação é feita pelo Ministério Público do Paraná

atualizado 16/09/2020 10:37

Wilson Dias/Agência Brasil

O Ministério Público do Paraná (MPPR) cumpre, nesta quarta-feira (16/9), um mandado de busca e apreensão no escritório do líder do governo de Jair Bolsonaro (sem partido) na Câmara, o deputado federal Ricardo Barros (PP).

O escritório do parlamentar fica em Maringá (PR). A operação é realizada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco). A Polícia Civil do Paraná ajudou no cumprimento da ação.

Segundo os investigadores, ao todo são cumpridos oito mandados de busca e apreensão, em Curitiba, Maringá, Paiçandu e São Paulo, no âmbito de investigação sobre supostas irregularidades em contratos de energia eólica no Paraná.

As ordens judiciais, expedidas pela 12ª Vara Criminal da capital paranaense, são cumpridas em um escritório de contabilidade e em outros três endereços comerciais (onde funcionam quatro empresas), além de quatro residências.

A investigação no Ministério Público do Paraná foi iniciada a partir da remessa de peças por parte do Supremo Tribunal Federal (STF), em novembro de 2019, decorrentes de colaboração premiada feita no âmbito da Operação Lava Jato. A apuração refere-se a fatos ocorridos entre o final de 2011 e o ano de 2014.

Ricardo Barros é líder do governo na Câmara desde 19 de agosto deste ano. Ele assumiu o lugar do deputado federal Vitor Hugo (PSL-GO). A troca foi promovida pelo presidente Jair Bolsonaro, que resolveu dar mais espaço para o Centrão no governo.

Em nota, o deputado Ricardo Barros afirmou estar tranquilo e em total colaboração com as investigações. Relator da lei de abuso de autoridade, disse repudiar “o ativismo político do judiciário”.

“O parlamentar reafirma a sua conduta ilibada, e informa que solicitou acesso aos autos do processo para poder prestar mais esclarecimentos à sociedade e iniciar sua defesa”, disse.

 

Últimas notícias