PF faz operação para investigar vacinação ilegal de empresários em MG

Operação é realizada em endereços ligados à Viação Saritur. Empresário teria coordenado aplicação de doses em garagem

atualizado 26/03/2021 10:31

PF faz operação para investigar vacinação ilegal de empresários em MGReprodução/TV Globo

A Polícia Federal (PF) faz buscas em endereços ligados à Viação Saritur, em Belo Horizonte (MG), na manhã desta sexta-feira (26/3). A corporação investiga se empresários do setor do transporte foram vacinados ilegalmente contra a Covid-19, conforme denúncia revelada pela revista Piauí.

Policiais cumprem mandados na garagem da empresa, no bairro Caiçara, na Região Noroeste, onde teria ocorrido a vacinação. Imagens internas de segurança serão recolhidas para tentar comprovar o episódio.

Apelidada de Operação Camarote, a investigação objetiva apurar a suposta importação e administração irregular de vacinas. A suspeita é de que houve importação irregular de doses da Pfizer e receptação, segundo a PF.

A 35ª Vara Federal Criminal de Belo Horizonte expediu quatro mandados de busca e apreensão que estão sendo cumpridos para angariar provas.

Denúncia

Segundo a revista, um grupo de políticos e empresários, a maioria ligada ao setor de transporte de Minas Gerais, e seus familiares tomaram, na terça-feira (23/3), a primeira das duas doses da vacina da Pfizer contra a Covid-19, em Belo Horizonte.

A ação viola a lei porque foi feita a aquisição e vacinação antes que os 77 milhões de brasileiros dos grupos prioritários tenham sido vacinados, e sem a doação de metade das vacinas adquiridas ao Sistema Único de Saúde (SUS).

As vacinas beneficiaram cerca de cinquenta pessoas e as doses foram aplicadas após uma compra por iniciativa própria, sem repassar ao SUS. Já a segunda dose está prevista para daqui a trinta dias. As duas doses custaram a cada pessoa R$ 600.

De acordo com a revista, os organizadores da vacinação foram os irmãos Rômulo e Robson Lessa, donos da viação Saritur. As doses teriam sido aplicadas dentro da garagem de uma das empresas do grupo.

A Pfizer negou a venda de vacinas fora do Programa Nacional de Imunização (PNI). “A Pfizer e a BioNTech fecharam um acordo com o Ministério da Saúde contemplando o fornecimento de 100 milhões de doses da vacina contra a Covid-19 ao longo de 2021″, diz a nota da farmacêutica.

Últimas notícias