PF faz operação contra pornografia infantil no Amapá

Um dos investigados, que não teve o nome divulgado, tem 37 anos e foi preso em flagrante por armazenar no celular imagens de crianças

atualizado 03/07/2021 10:23

Operação no AmapáPolícia Federal

A Polícia Federal deflagrou, na manhã deste sábado (3/7), duas operações com o objetivo de reprimir os crimes de armazenamento e compartilhamento de pornografia infantil no Amapá.

Vinte policiais federais cumpriram três mandados de busca e apreensão nas residências dos investigados, todos os endereços em Macapá, nos bairros Jardim Marco Zero, Perpétuo Socorro e Laguinho.

A denominada Operação Hera é fruto de investigação da Polícia Federal na qual foi identificado que, no período de 26 de março a 3 de abril deste ano, um morador de Macapá fazia download, armazenamento e compartilhamento de arquivos contendo pornografia infantil, por meio de um sistema chamado peer-to-peer (P2P).

De acordo com a PF, por meio desses sistema, todos os arquivos baixados ficam disponíveis aos usuários em qualquer lugar do mundo.

A outra operação é chamada de Loki. De acordo com a PF, por meio de busca em residências, agentes identificaram troca de arquivos contendo material de pornografia envolvendo crianças, em aplicativo de mensagem instantânea.

Um dos investigados, que não teve o nome divulgado, segundo a PF, tem 37 anos e foi preso em flagrante por armazenar no celular imagens de pornografia infantil.

Os envolvidos podem responder pelos crimes de armazenamento, compartilhamento ou produção de material contendo pornografia envolvendo criança e adolescente, cuja pena pode chegar a 10 anos de reclusão.

0

Mais lidas
Últimas notícias