Hacker diz ter obtido contato de Glenn Greenwald com Manuela D’Avila

Em depoimento à PF, Walter Delgatti Neto, o "Vermelho", detalhou como conseguiu as mensagens hackeadas e como chegou ao jornalista

JP Rodrigues/ MetrópolesJP Rodrigues/ Metrópoles

atualizado 26/07/2019 18:44

Suspeito de hackear autoridades brasileiras, Walter Delgatti Neto, conhecido como “Vermelho”, detalhou, em depoimento, o caminho usado para entrar em contato com o jornalista Glenn Greenwald, fundador do site responsável pela publicação de mensagens envolvendo o ex-juiz federal e hoje ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, e procuradores da Operação Lava Jato. A íntegra do documento foi obtida pela GloboNews (aqui, o depoimento) e divulgada na tarde desta sexta-feira (26/07/2019).

À Polícia Federal, ele afirmou que conseguiu contato com o jornalista por meio da ex-deputada federal Manuela D’Ávila (PCdoB). O telefone de Manuela, por sua vez, foi obtido por meio da ex-presidente Dilma Rousseff. Ele conseguiu o contato de Dilma por meio do ex-governador do Rio de Janeiro Luiz Fernando Pezão, mas não soube dizer como obteve o contato de Pezão.

O hacker negou que tenha sido pago para fazer o serviço e alegou que procurou Glenn porque o jornalista norte-americano é conhecido pelo caso Snowden, nos Estados Unidos – a divulgação de centenas de milhares documentos secretos da NSA, a Agência Nacional de Segurança dos Estados Unidos. O conteúdo foi compartilhado de forma anônima, por uma conta no Dropbox, conforme o depoimento.

Delgatti Neto negou que tenha invadido celulares de autoridades do atual governo, como o do ministro da Economia, Paulo Guedes – a invasão do aparelho de Moro teria ocorrido antes de ele virar ministro.

Últimas notícias