“Flordelis chorou quando polícia chegou na sua casa”, afirma delegado

A deputada foi denunciada como mandante do assassinato do seu então marido, pastor Anderson do Carmo, no ano passado

atualizado 24/08/2020 7:49

FlordelisReprodução

A deputada federal Flordelis (PSD-RJ) foi denunciada, nesta segunda-feira (24/08), como mandante do assassinato do pastor Anderson do Carmo, então seu marido. Sua casa, em Niterói, foi alvo de mandados de busca e apreensão e, segundo o delegado responsável pelo caso, Antônio Ricardo Lima Nunes, a parlamentar chorou ao ver os policiais.

“Ela foi surpreendida com a nossa chegada. Chorou um pouco. Tem muita gente dentro da casa. O importante é que as prisões foram cumpridas e a investigação chegou ao fim hoje”, disse ao programa “Bom Dia Rio”, da Globo.

Uma operação deflagrada pela Polícia Civil do RJ e pelo Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ), nesta segunda-feira (24/8), cumpre mandados de prisão contra os envolvidos na morte do pastor Anderson do Carmo, 42 anos.

A viúva, a deputada federal Flordelis (PSD-RJ), é uma das 11 pessoas denunciadas à Justiça e consideradas a mandante do crime. Porém, não há mandado de prisão contra ela, que tem imunidade parlamentar.

0

“Chegamos a 11 pessoas que serão responsabilizadas criminalmente por esse crime. Crime bárbaro, crime covarde. E hoje conseguimos finalizar essa investigação”, disse o delegado Antônio Ricardo Lima Nunes, chefe do Departamento de Homicídios, em entrevista ao “Bom Dia Rio”.

O delegado frisou que não há dúvidas de que a deputada planejou o assassinato por questões financeiras. “A investigação chegou a essa conclusão: que ela planejou esse assassinato covarde. Motivação é porque ela estava insatisfeita com a forma que o pastor Anderson tocava a vida e fazia a movimentação financeira da família”, concluiu.

Últimas notícias