Bebê de 1 ano morre baleado no Rio enquanto cortava cabelo

Um homem e um adolescente também foram vítimas do tiroteio. Polícia Civil investiga o caso

atualizado 26/10/2021 8:30

Mário Neto Ferreira Lourenço, de 1 ano e meio, morta baleada na tarde dessa segunda-feira, em MesquitaReprodução/ Redes sociais

Um bebê de 1 ano e meio morreu baleado, na tarde dessa segunda-feira (25/10), enquanto cortava cabelo no bairro Jacutinga, em Mesquita, na Baixada Fluminense, no Rio de Janeiro.

Mário Neto Ferreira Lourenço estava com o pai no salão quando foi atingido por um disparo. A criança chegou a ser levada ao hospital, mas não resistiu.

“Hoje […] meu filho perdeu a vida cortando cabelo no salão, vítima da violência do estado do Rio de Janeiro. Até quando vamos perder entes queridos? Um ano e 6 meses, meu príncipe. Senhor, misericórdia. Muita dor na minha alma”, escreveu o pai da criança, em uma rede social.

Outros dois homens foram mortos no mesmo tiroteio. As vítimas foram identificadas como Ruan Batista de Souza, de 24 anos, e Renan Felipe Batista Nunes, de 17 anos. Uma outra criança, de 3 anos, também foi baleada e encaminhada para um hospital da região.

Em nota, a Secretaria de Estado de Polícia Militar informou que equipes do 20° BPM (Mesquita) foram acionadas para checar uma ocorrência envolvendo disparos de arma de fogo na Rua Maurício Borges, no Bairro da Jacutinga.

“Chegando ao local, os policiais foram informados de que quatro pessoas foram atingidas e socorridas ao Hospital Geral de Nova Iguaçu. Dentre as vítimas, um homem, um adolescente e uma criança não resistiram aos ferimentos. Uma segunda criança sobreviveu. Até o momento, a autoria e a motivação da ação são desconhecidas”, detalhou a corporação.

0

A Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) foi acionada para investigar o caso.

“Os agentes coletaram imagens de câmeras de segurança para análise. Diligências seguem em andamento para esclarecer os fatos e identificar a autoria do crime”, acrescentou a Polícia Civil do Rio de Janeiro (PCRJ).

Mais lidas
Últimas notícias