PM que agrediu adolescente com dois socos pede desculpas em carta

O tenente-coronel Sávio Pellegrini agrediu um adolescente de 17 anos, filho do ex-secretário de Estado Yuri Bastos

atualizado 24/09/2021 15:59

PM pede desculpas por agressão injustificável a jovem de 17 anosReprodução

O tenente-coronel Sávio Pellegrini reconheceu, em carta, que a agressão contra o filho do ex-secretário de Estado Yuri Bastos, um adolescente de 17 anos, não tem justificativa e pediu desculpas à vítima. O ato aconteceu no último sábado (18/9), em Cuiabá, capital de Mato Grosso, e foi flagrado pelas câmeras de segurança do edifício Paul Cezanne.

O jovem passava pelo corredor do prédio para se encontrar com um amigo e esbarrou no militar, que carregava uma cadeira. O policial questionou a vítima se ele não tinha o visto e, assim que o garoto respondeu negativamente, o homem desferiu dois socos no rapaz. Depois disso, foi iniciada uma discussão que acabou sendo apartada por uma procuradora do Estado que estava no local.

Uma viatura foi acionada via 190 e o jovem avisou o pai sobre o ocorrido. Yuri Bastos ficou revoltado com a agressão contra seu filho e invadiu a residência do tenente-coronel. Na ocasião, o policial teria pegado uma arma e apontado para o ex-secretário, exigindo que ele saísse de sua casa.

Todos os envolvidos foram encaminhados pela PM para a Central de Flagrantes.

De acordo com o portal RDNews, o tenente-coronel declarou que o caso foi um episódio isolado e não representa sua conduta “como pessoa humana, como profissional, nem tampouco a história escrita pelos integrantes da centenária instituição Polícia Militar”.

“A presente retratação é realizada de maneira espontânea e sem qualquer intenção de justificar o que eu mesmo classifico como injustificável, tendo em vista que respeitar o próximo é premissa básica para convivência em sociedade. Não é aceitável que qualquer ser humano seja maltratado e confesso que também caracterizo como lamentável o fato ocorrido”, declarou.

Pellegrini também reconheceu que “haverá consequências do devido processo legal para o caso”. O militar revelou que sua reação foi consequência de um “acúmulo de problemas de ordem pessoal, acometido de uma reação cega e irracional”.

Ele agradeceu a Deus por nada mais grave ter acontecido à vítima e se colocou à disposição da família, reiterando seu pedido de perdão.

Yuri Bastos negou ter invadido a residência do policial ao tomar conhecimento que o filho havia sido agredido. Ele contou que foi ao apartamento já acompanhado da polícia e que o militar os recebeu armado. “Perdi a cabeça na delegacia, não invadi a casa dele”, disse.

Veja a carta na íntegra a seguir:

“Venho por meio da presente Nota de Retratação Pública, posicionar-me perante a sociedade e esclarecer aos meios de comunicação sobre o ocorrido no dia 18/09/2021 (sábado).

A presente retratação é realizada de maneira espontânea e sem qualquer intenção de justificar o que eu mesmo classifico como injustificável, tendo em vista que respeitar o próximo é premissa básica para convivência em sociedade. Não é aceitável que qualquer ser humano seja maltratado, e confesso que também caracterizo como lamentável o fato ocorrido.

Ressalto ainda, que esse episódio ISOLADO não representa a minha conduta como pessoa humana, como Profissional, nem tampouco a história escrita pelo integrantes da Centenária Instituição Polícia Militar.

Em razão disso, exerço a presente retratação pública, comunicando a todos que num momento de desatino por acúmulo de problemas de ordem pessoal, acometido de uma reação cega e irracional, agredi de maneira injustificada o adolescente, reconhecendo que haverá consequências do devido processo legal para o caso.

Agradeço ao Poderoso Deus que nada mais grave aconteceu com o adolescente, de igual forma nos desdobramentos após a chegada do Sr. Yuri Jorge que também acabou sendo acometido pela perda da razão e equilíbrio, invadindo meu domicílio já na presença dos Policiais e, posteriormente, me agredindo na Delegacia.

Nesse sentido, me coloco inteiramente à disposição, em especial da Família do Sr. João Batista de Almeida, meu vizinho de condomínio e responsável pela criação do adolescente, e aproveito ainda a oportunidade, para de antemão, reiterar meu pedido perdão ao seu neto e toda sua família.

A Bíblia fala muito sobre arrependimento. E nós, como humanos, acabamos errando em nossas atitudes e desagradando a Deus e ao próximo. E, só Deus nos ajuda a chegar ao verdadeiro arrependimento (2 Timóteo 2:25).

Dessa forma, em demonstração do meu arrependimento, deixo aqui minhas sinceras desculpas ao adolescente, à família e toda sociedade, momento em que me posiciono declinado para ajudar no que for necessário e orando para que a recuperação seja plena e instantânea, a todos que de alguma maneira tenha sido atingidos pelos meus atos falhos.

Respeitosamente,

Sávio Pellegrini Monteiro”

Últimas notícias