PGR denuncia Roberto Jefferson por incitar crimes contra o Congresso e o STF

Presidente nacional do PTB está preso no Rio de Janeiro. Informação da denúncia foi divulgada pelo canal CNN Brasil

atualizado 30/08/2021 16:13

Roberto JeffersonReprodução/Redes sociais

O presidente nacional do PTB e ex-deputado federal Roberto Jefferson foi denunciado ao Supremo Tribunal Federal (STF) pela Procuradoria-Geral da República pela suposta prática de ao menos 4 crimes.

Jefferson foi denunciado por incitar crimes contra a segurança nacional tendo como alvos o Supremo e senadores da CPI da Pandemia (“tirá-los de lá no pescoção”); por ter chamado de macaco o embaixador da China no Brasil, Yang Wanming; e por calúnia contra o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG) por dizer que ele não aceitava pedidos de impeachment contra ministros do Supremo por “interesses pessoais”.

A denúncia é assinada pela subprocuradora Lindôra Araújo, a mesma que havia defendido a prisão domiciliar de Jefferson em parecer que ainda está na mesa do ministro Alexandre de Moraes – assim como a denúncia. A peça foi oferecida em 25 de agosto e mantida em sigilo, mas foi noticiada nesta segunda-feira pela CNN Brasil.

A subprocuradoria detalha uma série de entrevistas nas quais Roberto Jefferson estimulou a população a invadir o Congresso, a reagir a policiais militares e a atacar instituições, como o Supremo Tribunal Federal.

Jefferson está preso no Rio de Janeiro desde 13 de agosto de 2021, a pedido da Polícia Federal. O mandato foi expedido pelo STF no âmbito do Inquérito dos Atos Antidemocráticos.

Publicidade do parceiro Metrópoles
0

A prisão de Jefferson foi evento-chave na piora do clima institucional e levou o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) a subir o tom contra o Judiciário. A notícia de uma denúncia da PGR contrariando os argumentos do presidente e seus seguidores, de que Jefferson apenas exerceu sua liberdade de expressão, é um revés para Bolsonaro.

Mais lidas
Últimas notícias