PF investiga Ciro Gomes por suposto crime contra a honra de Bolsonaro

Pedetista disse não estar "nem ligando" para o inquérito. Ciro chamou presidente de ladrão e criticou gestão da pandemia

atualizado 19/03/2021 22:54

Ciro Gomes dá entrevista ao Metrópoles, sob painel com logo do portal. Ele usa terno e aparece de lado - Metrópoles Vinícius Santa Rosa/Especial para o Metrópoles

A Polícia Federal abriu inquérito para investigar o ex-governador Ciro Gomes (PDT) por suposto crime contra a honra do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

O pedido de investigação foi assinado pelo próprio presidente e pelo ministro da Justiça, André Mendonça. A investigação foi revelada pelo jornal O Estado de S.Paulo.

Ciro virou alvo de Bolsonaro porque, em entrevista à Rádio Tupinambá, de Sobral (CE), em novembro do ano passado, disse que tinha “repúdio ao bolsonarismo, à sua boçalidade, à sua incapacidade de administrar a economia do país e seu desrespeito à saúde pública”.

Ciro também o chamou o presidente de “ladrão” e citou o caso da “rachadinha” de seu filho, o senador Flavio Bolsonaro (Republicanos).

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
Publicidade do parceiro Metrópoles 3
0

 

“Qual foi o serviço do Moro no combate à corrupção? Passar pano e acobertar a ladroeira do Bolsonaro. Por exemplo, o Coaf, que descobriu a esculhambação dos filhos e da mulher do Bolsonaro, que recebeu R$ 89 mil desse [Fabrício] Queiroz, que foi preso e é ladrão, ladrão pra valer, ligado às milícias do Rio de Janeiro. E onde estava o senhor Sérgio Moro? Acobertando”, criticou Ciro.

No Twitter, Ciro minimizou o processo, mas fez um alerta: “Particularmente não ligo para esse ato contra mim, mas considero grave a tentativa de Bolsonaro de intimidar opositores e adversários”.

Veja:

Mais lidas
Últimas notícias