PF abre inquérito para investigar ataque hacker ao sistema do TRF-1

Na semana passada, o tribunal restringiu acesso aos sistemas, após suspeita de exposição de dados por ação criminosa cibernética

atualizado 02/12/2020 17:35

Ataque ao TRF1Reprodução

A Polícia Federal (PF) abriu inquérito para investigar a suspeita de um ataque hacker ao Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1). O caso será conduzido pelo grupo de Repressão a Crimes Cibernéticos da Superintendência da Polícia Federal no Distrito Federal.

Na última sexta-feira (27/11), o tribunal retirou o portal do ar, após a suspeita de invasão. Segundo o TRF-1, os sistemas foram colocados em modo restrito, como medida preventiva. Em redes sociais, hackers que afirmaram ter capturado os dados comemoraram a “vulnerabilidade” do site.

No sábado (28/11), o TRF-1 iniciou o restabelecimento de acesso ao portal eletrônico institucional. O tribunal ainda informou que “não foram constatados danos aos sistemas e aos dados custodiados pelo TRF-1, que seguem sendo analisados pelas equipes técnicas do Tribunal e do Departamento de Polícia Federal”.

STJ e TSE

No dia 3 de novembro, o sistema de informática do Superior Tribunal de Justiça (STJ) foi alvo de um ataque cibernético. A Polícia Federal também investiga o caso. À época, todas as sessões de julgamentos do tribunal foram suspensas.

No domingo do primeiro turno das eleições municipais, 15 de novembro, hackers invadiram e expuseram informações administrativas de ex-servidores e ex-ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

A Polícia Federal abriu inquérito e prendeu, em Portugal, no último sábado (28/11), um suspeito de invadir o sistema.

Últimas notícias