PCC nega envolvimento com chacina na fronteira do Paraguai: “Não matamos inocentes”

Nota apócrifa garante que "único homem do incidente não é integrante da organização". Ataque a tiros matou filha de governador paraguaio

atualizado 10/10/2021 10:29

Ataque mata filha de governador do MS e mais três na fronteiraTop Mídia News/Reprodução

O Primeiro Comando da Capital (PCC), mais forte facção criminosa do Brasil, garante não ter matado quatro pessoas na fronteira de Mato Grosso do Sul na madrugada de sábado (9/10). A afirmação é em “nota apócrifa” da organização.

No atentado morreram Kaline Reinoso de Oliveira, douradense e estudante de Medicina, de 21 anos; Rhannye Jamily, de 18 anos, estudante de Medicina; Osmar Vicente Álvarez Grance; Haylee Carolina Acevedo Yunis, de 21 anos, filha do governador de Amambay.

Leia a reportagem completa em Top Mídia News, site parceiro do Metrópoles.

Últimas notícias