Pazuello anuncia aquisição de 100 milhões de doses da vacina Coronavac

Imunizante é desenvolvido pela farmacêutica chinesa Sinovac em parceria com o Instituto Butantan. Eficácia é de 78%

atualizado 07/01/2021 18:15

Pazuello anuncia aquisição de 100 milhões de doses da vacinaIgo Estrela/Metrópoles

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, anunciou nesta quinta-feira (7/1) que o governo federal irá adquirir 100 milhões de doses da Coronavac, vacina desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac em parceria com o Instituto Butantan.

Segundo Pazuello, o acordo foi possível após o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ter assinado uma medida provisória, na noite dessa quarta-feira (6/1), que permite a compra de vacinas contra a Covid-19 antes da liberação emergencial pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

“Hoje nós assinamos com o Butantan, menos de 24h depois da medida provisória, o contrato para a entrega das primeiras 46 milhões de doses até abril e de mais 54 milhões de doses no decorrer do ano, indo a 100 milhões”, afirmou o ministro durante coletiva de imprensa.

Visivelmente irritado, reclamando da imprensa e de fotos tiradas enquanto ele falava, o ministro definiu a luta contra a Covid-19 no Brasil como uma “guerra”. Ele exibiu todos os números das vacinas em tratativas pelo governo brasileiro.

0
Sem ideologia

O ministro definiu a luta contra a Covid-19 como uma guerra. “É uma guerra. E nós precisamos usar todas as armas necessárias para poder vencer. É o momento que o país precisa estar o mais unido possível. É o momento que a saúde não pode ter bandeiras, partido, ideologia. Nós estamos falando de brasileiros”, afirmou o ministro.

E citou a Europa. “A realidade é dura. A Europa e os Estados Unidos estão enfrentando taxas altíssimas de contaminação e mortalidade. Já estão no segundo ciclo”, lembrou.

“Já estamos em pleno inverno europeu e americano e, sim, essa sazonalidade impacta na contaminação, na transmissão e na nossa imunidade. Ou seja, estamos mais suscetíveis a doenças respiratórias no período do inverno”, explicou Pazuello.

Ele afirmou que esteve reunido com o governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), por causa da situação gerada pela doença no estado. “Na semana passada, já mandei uma equipe completa com um secretário nacional, técnicos, médicos, para prestar o nosso apoio. Estaremos lá no fim de semana, no domingo, para que, na segunda, todos os secretários, nossa equipe, a gente possa cerrar o apoio e evitar que mais pessoas percam suas vidas”, prometeu.

0

 

Últimas notícias