Sinovac fará o pedido do registro definitivo da Coronavac, diz Butantan

Nesta quinta-feira (7/1), o instituto iniciou o encaminhamento à Anvisa do pedido de uso emergencial

atualizado 07/01/2021 14:21

João Doria e Dimas Covas apresentam a CoronavacFábio Vieira/Metrópoles

São Paulo – O Instituto Butantan informou nesta quinta-feira (7/1) que a Sinovac ficou responsável por fazer à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) o pedido de registro definitivo da Coronavac, vacina contra a Covid-19. Nesta quinta, o presidente do órgão, Dimas Covas, afirmou que iniciou o pedido à Anvisa da autorização para uso emergencial do imunizante.

O instituto adiou quatro vezes a apresentação dos resultados da eficácia do imunizante com argumento inicial de que tinha dados suficientes para não precisar fazer o pedido de uso emergencial.

De acordo com Dimas Covas, a Sinovac vai unificar os dados dos testes feitos no Brasil, na Indonésia e Turquia. Ele destaca que existe diferença entre a eficácia em diferentes países e explica que cabe ao laboratório equalizar esses resultados. No Brasil, foi de 78% e na Turquia, de 96%, por exemplo.

A consolidação e a análise de dados são critérios exigidos pela agência de regulação de medicamentos da China.

O detalhamento da pesquisa para desenvolvimento do imunizante feita no Brasil, segundo Covas, será disponibilizado ao público após aval da Anvisa.

Apesar de não ter o registro, a Coronavac já está em produção no país. Além de ter recebido doses prontas da China, o Instituto Butantan está em funcionamento 24 horas por dia para confecção do imunizante.

0

Últimas notícias