*
 

O deputado federal Paulo Maluf (PP-SP), 86 anos, desembarcou na capital do país por volta das 16h desta sexta-feira (22/12). Com bengala na mão, o parlamentar desceu do avião da Polícia Federal (PF) na Base Aérea de Brasília acompanhado por uma profissional de saúde.

Condenado por lavagem de dinheiro, Maluf entrou no carro da PF e foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML), ao lado do Parque da Cidade, para realização de perícia médica e exame de corpo de delito. Depois, às 18h, seguiu para o Complexo Penitenciário da Papuda.

A perícia foi determinada pelo juiz da Vara de Execuções Penais do Distrito Federal, Bruno Aielo Macacari, que vai analisar o pedido de prisão domiciliar feito pela defesa do ex-prefeito de São Paulo. Só depois dos exames, Maluf ele será levado ao Centro de Detenção Provisória (CDP) do Complexo Penitenciário da Papuda.

Maluf foi condenado pela Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) a 7 anos, 9 meses e 10 dias de prisão, em regime fechado, pelo crime de lavagem de dinheiro. O político é acusado de desvios milionários em obras viárias, como o Túnel Airton Senna, a Avenida Água Espraiada e a Avenida Roberto Marinho, em São Paulo, entre 1993 e 1996, período em que foi prefeito da cidade.

A Vara de Execuções Penais do Distrito Federal, antes mesmo de uma avaliação definitiva, exigiu, ainda para esta sexta-feira (22), um parecer médico provisório sobre o estado de saúde de Maluf com base nos documentos e exames apresentados pela defesa. Cabe à Justiça decidir sobre um pedido dos advogados de transferência para prisão domiciliar, por causa das condições de saúde do parlamentar.

Pela decisão do juiz substituto Bruno Aielo Macacari, do Distrito Federal, o primeiro parecer deve ser elaborado e entregue ainda nesta sexta-feira (22) pela equipe médica do Centro de Detenção Provisória (CDP) da Papuda, onde Maluf deverá ficar custodiado.

O relatório definitivo poderá ser apresentado pela mesma equipe até a próxima terça-feira (26). Macacari disse que o caso requer urgência e o prazo é curto em razão do recesso forense nos próximos três dias.

“Determino, outrossim, que, ainda na data de hoje, venha aos autos parecer preliminar da equipe médica atuante no Centro de Detenção Provisória, lastreado na documentação apresentada pela defesa e que foi encaminhada por este juízo no dia 20 último, tendo em vista a ausência de expediente forense neste juízo nos dias 23, 24 e 25 próximos, sem prejuízo do parecer definitivo, a ser encaminhado após avaliação direta do reeducando”, diz a decisão do juiz.