Padilha pede que TCU analise cancelamento da compra de 15 mil respiradores

Ministro da Saúde, Nelson Teich, determinou que contrato fosse desfeito. Aparelhos seriam fabricados por um fornecedor chinês

atualizado 01/05/2020 8:35

Agência Brasil/Divulgação

O deputado federal Alexandre Padilha (PT-SP) pediu que o Tribunal de Contas da União (TCU) e a Controladoria-Geral da União (CGU) analisem o cancelamento da compra de 15 mil respeitadores vindos da China.

Nesta semana, o ministro da Saúde, Nelson Teich, afirmou que rescindiu o contrato pois “o fornecedor não conseguiu produzir os aparelhos”.

“Se faz importante que o ministro esclareça pormenorizada as razões para desistência da aquisição e se houve alguma despesa realizada em razão deste contrato, bem como as condições e a forma como esse pagamento seria realizado”, destaca Padilha no pedido de abertura de procedimento de análise no TCU. 

O deputado questionou a CGU que apurasse a causa do cancelamento da compra e quais foram as justificativas.

“Esta Controladoria tomou conhecimento da desistência pelo ministério da saúde da compra de 15 mil respiradores? Em caso afirmativo, de que forma esse conhecimento se deu? O ministro da Saúde, Nelson Teich, comunicou as razões dessa desistência a este órgão?”, indagou, no documento enviado ao órgão. 

Em audiência realizada na quarta-feira (30/04) no Senado, Teich afirmou que a desistência não foi uma posição ideológica. “O problema com a China foi o processo um pouco confuso”, resumiu. 

Os ventiladores ajudam pacientes que não conseguem respirar sozinhos e seu uso é indicado nos casos graves de Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.

Segundo o governo, ao longo de três meses, uma rede de empresas brasileiras ajudará a atender as necessidades do Sistema Único de Saúde (SUS), com 14.100 respiradores mecânicos.

Atualmente, o Brasil conta com 65.411 respiradores/ventiladores, sendo que 46.663 estão disponíveis no SUS.

Últimas notícias