Pacheco sobre prorrogar auxílio emergencial: “Senado deve debater”

A declaração ocorreu durante uma coletiva de imprensa, nesta terça-feira (5/10), organizada após a entrega do parecer da PEC 110

atualizado 05/10/2021 17:33

Vinícius Schmidt/Metrópoles

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), afirmou que a prorrogação do auxílio emergencial deve ser debatida pela Casa. O benefício, que ajudou famílias de baixa renda a se estabilizarem durante a pandemia da Covid-19, tem previsão para ser encerrado em 18 de outubro para quem é do Bolsa Família e em 20 de outubro para os demais.

Agora, parlamentares discutem a prorrogação do auxílio para até 22 de abril, visto que a pandemia ainda não acabou no país e muitos continuam prejudicados economicamente pela doença. Os valores do benefício variam de R$ 150 a R$ 375.

A declaração de Pacheco ocorreu durante uma coletiva de imprensa, nesta terça-feira (5/10), organizada após a entrega do parecer da PEC 110, que trata da reforma tributária.

No rastro do governo, também há o lançamento de outro programa social, o Auxílio Brasil, que deve ser inaugurado em novembro. O programa é o antigo Bolsa Família, mas ainda depende de financiamento vinculado à reforma do Imposto de Renda – que ainda não foi aprovada.

Enquanto o governo patina para fazer a reforma passar no Senado, Pacheco critica a proposta.

“Não podemos colocar no colo do Congresso Nacional essa responsabilidade de aprovar um projeto estruturante como condição para algum programa social, que é o que tem mais apelo social, mais apelo eleitoral, inclusive”, disse mais cedo.

Últimas notícias