metropoles.com

Pacheco recebe Haddad por novo arcabouço: “Ampla discussão no Congresso”

Haddad também se reuniu com o presidente da Câmara dos Deputados depois de orientado por Lula a procurar líderes do Congresso

atualizado

Compartilhar notícia

Reprodução
Haddad-Pacheco
1 de 1 Haddad-Pacheco - Foto: Reprodução

O presidente do Congresso Nacional, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), reuniu-se com o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, nesta segunda-feira (20/3), para discutir “em linhas gerais” o novo arcabouço fiscal que substituirá o teto de gastos. Antes, o ministro havia se encontrado com o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL).

A orientação para buscar o Congresso antes do anúncio oficial foi do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). O presidente da República solicitou que Haddad tivesse reuniões com líderes do governo e economistas de fora do mercado, antes de apresentar definitivamente a proposta de novo arcabouço fiscal do país.

Após o encontro, Pacheco afirmou que a reunião tratou de “linhas gerais da proposta do novo marco fiscal para substituir o teto de gastos”.

“Temos de promover uma ampla discussão no Congresso, no sentido de assegurar os investimentos que precisam ser feitos, nas áreas da Saúde, da Educação, da Segurança e da Infraestrutura, além dos projetos sociais, mas sem deixar de lado a sustentabilidade das contas públicas”, afirmou o senador nas redes sociais.

Além do ministro Haddad, estiveram presentes o secretário-executivo do ministério, Gabriel Galípolo, e o senador Jaques Wagner (PT-RJ), líder do governo no Senado.

A previsão do chefe da Fazenda é de que o novo arcabouço fiscal seja anunciado antes da viagem de Lula para a China, marcada para o próximo sábado (25/3). Haddad ainda confirmou que, entre esta segunda e terça-feira (20 e 21/3), ele se encontrará com lideranças do governo no Congresso Nacional, na sede do Ministério da Fazenda.

O arcabouço fiscal é uma série de regras econômicas e fiscais a serem obedecidas pela gestão do país. Essas normas vão substituir o teto de gastos, que é a atual regra em vigor, aprovada durante o governo de Michel Temer, e que pretendia controlar os gastos públicos para tentar deixar as contas no azul. O objetivo de ambos é o mesmo.

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comNotícias Gerais

Você quer ficar por dentro das notícias mais importantes e receber notificações em tempo real?