“Obrigado a vetar”, diz Bolsonaro sobre corte no Orçamento de 2022

"Parte foi do nosso orçamento, vou cortar na própria carne, e parte nas emendas de comissão do Congresso", disse

atualizado 22/01/2022 12:42

O presidente Jair Bolsonaro (PL), acompanhado pelo filho Flávio Bolsonaro, na cidade de Eldorado, interior de São Paulo, nesta manhã de sábado, 22. A mãe do presidente, Olinda Bonturi Bolsonaro, de 94 anos, faleceu na madrugada de sexta-feira (21). O Presidente cancelou viagem à Guiana e voltou ao Brasil para o enterro. Foto: Fábio Vieira/MetrópolesFábio Vieira/Metrópoles

Eldorado – O presidente Jair Bolsonaro (PL) confirmou neste sábado (22/1) que sancionou o Orçamento de 2022 com vetos de aproximadamente R$ 2,8 bilhões. Ele afirmou que uma parte do veto foi de recursos do próprio Executivo, e a outra em emendas de comissão do Congresso.

“Eu vetei. Eu sou obrigado a vetar, se eu sancionar, eu tenho que ter o recurso definido, da onde vem o dinheiro. Foi sancionado ontem (sexta). Por alto, não tive cabeça para ver com profundidade, confiei na equipe, foram vetados R$ 2,8 bilhões lá, parte do nosso [orçamento], vou cortar na própria carne, e parte nas emendas de comissão do Congresso”, disse.

A sanção deve ser publicada no Diário Oficial da União (DOU) na segunda-feira (24/1). Entretanto, Bolsonaro disse que “existe a possibilidade de esse recurso ser composto ao longo de ano de acordo com a arrecadação”.

0

“No ano passado, além do previsto, arrecadamos mais de R$ 300 bilhões, isso lógico tem o trabalho nosso de buscar alternativas”, afirmou.

Bolsonaro esteve em Eldorado para acompanhar o velório e enterro de sua mãe, Dona Olinda, que morreu na madrugada de sexta. Ele conversou com moradores da cidade na manhã deste sábado e retornou a Brasília.

 

Mais lidas
Últimas notícias