Nuvem de poeira: entenda o fenômeno que atingiu o interior de SP

Evento raro no Brasil, favorecido por clima quente e seco, chegou a provocar ventos de até 92 km por hora em Ribeirão Preto e Franca

atualizado 27/09/2021 14:35

Nuvem de areia também atingiu Ribeirão PretoReprodução

São Paulo – Franca, Ribeirão Preto e outras cidades do interior de São Paulo e Minas Gerais registraram neste domingo (26/9) uma nuvem de areia. O fenômeno raro no Brasil foi causado por uma conjunção de fatores: vários dias com temperaturas elevadas próximas aos 40 graus, umidade baixa, muitas vezes abaixo de 15%, e a chegada de uma frente de instabilidade que provocou um contraste térmico.

“Nós estávamos com uma massa de ar quente e seca atuando durante vários dias em Brasília, no triângulo mineiro, nessa faixa de São Paulo. Veio essa área de instabilidade e essas nuvens vieram com rajadas de vento muito rápidas que encontraram um ambiente muito seco e quente, que proporcionou o levantamento de poeira do solo para a atmosfera. Aconteceu um contraste térmico”, explica Andrea Ramos, meteorologista do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).

0

 

Durante a nuvem de poeira, a umidade relativa do ar ficou em apenas 19%, segundo o Climatempo. “A tempestade de poeira ocorre quando ventos intensos levantam uma quantidade significativa de poeira do solo para atmosfera, podendo transportar essas partículas por grandes distâncias”, afirmou a meteorologista da Climatempo, Daniela Freitas.

“Primeiro, veio essa frente de rajada de vento ultrapassando 70 km; no aeroporto de Ribeirão Preto foi registrado 92 km; nas nossas estações chegamos a registrar 80 km, e logo atrás da rajada vieram as chuvas”, relatou Andrea Ramos. As estações do Inmet registram 15,2 milímetros de chuva em Franca, 45, em Pradópolis e 6,8, em São Simão.

Nuvem de poeira é fenômeno raro no Brasil

“Os redemoinhos são comuns, mas essas tempestades de areia com rajadas de vento nessa proporção não é comum. O redemoinho é só o vento com movimento rápido circular levantando a poeira do solo”, disse a meteorologista do Inmet.

A falta de chuva, segundo a especialista, foi decisiva para a formação da nuvem de poeira. “O solo estava muito seco e a areia com o movimento levantou e deu essa proporção para essas nuvens de areia”, afirmou Andrea Ramos.

Previsão do tempo

A previsão do tempo do Inmet indica que os próximos dias e o mês de outubro serão mais chuvosos. Portanto, as condições não serão propícias para a formação de tempestades de areia, porque o ambiente não estará tão seco e tão quente. 

Segundo a profissional do Inmet, a primavera tende a estabelecer um corredor de umidade e favorecer as chuvas. “Aquele bloqueio que estava atuando na parte central do país já está perdendo força devido a esse corredor de umidade.”

Mais lidas
Últimas notícias