Niterói terá barreiras sanitárias para conter avanço da Covid-19

Ação reforça, a partir desta quarta-feira (14/4), medidas mais restritivas. Nas barreiras sanitárias será feita a medição de temperatura

atualizado 14/04/2021 8:23

Axel Grael, prefeito de NiteróiReprodução

Rio de Janeiro –  O prefeito de Niterói, Axel Grael (PDT), decidiu implementar barreiras sanitárias nos principais acessos ao município, região metropolitana do Rio, a partir desta quarta-feira (14/4). As barreiras estarão localizadas nos pontos mais importantes de acesso ao município, como na divisa com São Gonçalo e na Ponte Rio-Niterói.

Haverá medição de temperatura, que impedirá o acesso de quem apresentar febre, um dos sintomas da Covid-19. Niterói assinou contrato para comprar 800 mil doses de vacina Sputinik V.

A ação reforça as medidas mais restritivas adotadas.

“Estamos dialogando com Rio e Maricá. O cenário na região metropolitana nos deixa em alerta, porque cidades vizinhas, como São Gonçalo, não estão implementando medidas restritivas. Isso faz com que os hospitais lá estejam com 100% de ocupação, e essa demanda chegue à nossa cidade”, apontou Grael.

Segundo ele, 20% dos leitos de Niterói são ocupados por pacientes que vêm de São Gonçalo. “A falta de medidas dos municípios vizinhos afeta Niterói, por isso nosso apelo para que também façam a sua parte”, enfatizou o prefeito.

O secretário municipal de Saúde, Rodrigo Oliveira, explicou que o atual cenário é de registro de mais casos que demandam internações, que deixam pacientes mais graves e com aumento percentual das pessoas jovens sendo atingidas.

“De fevereiro para março saiu de 5% para 12% o número de pacientes entre 30 a 39 anos internados no Hospital Oceânico. Nós vivemos, em todo o território nacional, uma situação de colapso do sistema de saúde. Está acabando, no Brasil, medicamentos para sedar pacientes intubados. Os profissionais de saúde estão exaustos. Precisamos vacinar e diminuir a circulação do vírus”, disse Oliveira.

Niterói ultrapassou, na segunda (12/4), 100 mil imunizados contra a Covid-19. O município contabiliza um total de 105.803 pessoas imunizadas com a primeira dose, entre trabalhadores da saúde, idosos, pessoas com deficiência institucionalizadas e quilombolas. Já receberam a segunda dose da vacina 35.756 pessoas.

Últimas notícias