Nissan afirma que não acabará com a fábrica no Rio de Janeiro

Complexo industrial presente em Resende, no Sul Fluminense, concentra cerca de 1,7 mil empregos diretos

atualizado 22/01/2021 17:50

Rio de Janeiro – A Secretaria de Desenvolvimento Econômico está fazendo uma série de conversas com montadoras de veículos instaladas no estado do Rio de Janeiro. Nesta quinta-feira (21/1), foi a vez dos representantes da Nissan. Os executivos reafirmaram o compromisso e descartaram a possibilidade de desmobilização da fábrica instalada em Resende, região Sul Fluminense do Rio de Janeiro.

Desde o início da operação industrial no estado, em 2014, foram investidos mais de R$ 3 bilhões. Para além desses investimentos, em seis anos, a presença da Nissan injetou R$ 1 bilhão na economia fluminense, em termos de remuneração salarial, sem contar o recolhimento de impostos.

“Em nossa conversa, a Nissan reafirmou o compromisso com o estado do Rio”, destacou o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Energia e Relações Internacionais, Leonardo Soares.

“O complexo industrial em Resende emprega a quantidade mais expressiva de funcionários dentro dos locais de operação da Nissan no Brasil. São cerca de 1,7 mil empregos diretos. Contando empregos indiretos e fornecedores, a folha da Nissan no Rio chega a quase 2 mil famílias. É uma operação de extrema importância para o estado”, reforçou o secretário.

“Reitero que a segurança jurídica e o respeito aos contratos são princípios basilares para o desenvolvimento do negócio e a atração de investimentos. Fico muito satisfeito com a disposição da Secretaria de Desenvolvimento nesse sentido”, agradeceu o diretor de Relações Externas e Governamentais da Nissan do Brasil, Pedro Bentancourt.

Ford deixa o Brasil

No último dia 11, a Ford anunciou que encerrará a produção de veículos nas fábricas no Brasil após um século. A montadora mantinha fábricas em Camaçari (BA) e Taubaté (SP), para carros da Ford, e em Horizonte (CE), para jipes da marca Troller.

Últimas notícias