“Não durmo mais à noite”, diz homem solto após 30 dias de prisão sem provas

Eduardo de Assis Fernandes, 44, foi detido na frente dos filhos enquanto preparava o jantar, no Rio de Janeiro

atualizado 03/12/2020 13:18

Eduardo de Assis Fernandes, preso injustamenteArquivo pessoal

Eduardo de Assis Fernandes, 44, foi preso na frente dos filhos enquanto preparava o jantar e permaneceu detido por 30 dias, após ser acusado de roubar dois empresários e tentar extorquir dinheiro deles, em Queimados (RJ). O homem foi preso com base em uma foto no Facebook de outro suspeito.

Segundo informações do Uol, Eduardo foi solto em 22 de novembro por falta de provas e afirma que ainda tem dificuldades de fazer planos. “O amanhã a Deus pertence. Vou continuar trabalhando, como sempre fiz”, disse.

Com medo de perder o emprego, recebeu a notícia de que o cargo ainda o esperava. No retorno, os colegas o receberam de forma afetuosa. “No país em que vivemos, alguém preso automaticamente é visto como bandido. Mas me deram boas-vindas e me abraçaram. Estou trabalhando em dois lugares e estou muito feliz que o ocorrido não me prejudicou profissionalmente”, afirmou.

Eduardo sempre prometeu aos filhos não deixá-los sozinho, diferentemente do que passou na infância, quando foi abandonado pelo pai ainda muito novo. A prisão injusta o obrigou a descumprir a promessa.

“Eu os deixei obrigatoriamente e sofri muito durante todo o tempo em que estive preso. Senti saudade, desespero e tristeza. Eu preciso esquecer aqueles momentos”, relembrou.

Entenda

Um dos sócios de um supermercado teve R$ 109 mil roubados no início de agosto. Ele foi abordado por um homem que usava um boné caído sobre o rosto. Em seguida, a vítima e o irmão receberam ameaças por mensagens no telefone.

A Polícia Civil informou que um ex-funcionário do estabelecimento havia sido demitido por justa causa meses antes. O delegado responsável pelo caso, José Afonso Mota, acredita que ele pode ter sido o articulador dos crimes por conhecer a rotina do local. Ele também foi preso, apesar de não haver provas.

De acordo com a polícia, Eduardo estava envolvido no roubo devido à proximidade com o rapaz que trabalhou no supermercado – eles são concunhados. Um dos empresários apontou Eduardo como autor do roubo ao ver a foto dele na lista dos amigos no Facebook do rapaz que foi preso.

 

Últimas notícias