“Não acredito que o Enem irá piorar a pandemia”, diz ministro da Educação

Segundo Milton Ribeiro, mais de 5 mil candidatos com sintomas respiratórios pediram reaplicação da prova em todo Brasil

atualizado 17/01/2021 14:13

Ministro do MEC Milton RibeiroRafaela Felicciano/Metrópoles

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, acompanhou neste domingo (17/1), em Curitiba (PR), as medidas sanitárias adotadas nas salas de aula para a aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Para Ribeiro, a realização do exame não irá irá piorar a pandemia do novo coronavírus no Brasil.

“A gente não sabe o futuro, mas não acredito que irá piorar. Não só o Enem [pode piorar a pandemia]. Você andou de avião esses dias? Existe toda uma regra, mas você senta ao lado da pessoa no embarque. O que pensamos é que os cuidados estão sendo tomados. Os portões foram abertos meia hora mais cedo para evitar aglomeração, e não podíamos dispensar o Enem de novo, porque os alunos mais pobres é os que seriam mais prejudicados”, declarou o ministro, segundo informações do jornal O Globo.

Confira movimentação no DF:

0

O primeiro dia de provas está sendo realizado neste domingo para mais de 5,5 milhões de candidatos confirmados. Segundo Ribeiro, mais de 5 mil  inscritos já pediram reaplicação da prova por apresentarem sintomas de doenças respiratórias. A prova será reaplicada para estes candidatos nos dias 23 e 24 de fevereiro. É a mesma data em que 160 mil estudantes do Amazonas farão a avaliação, já que o governo estadual decretou a suspensão do Enem.

Ribeiro viajará ainda a Goiânia acompanhar o encerramento das provas. À noite, o ministro concede uma coletiva de imprensa em Brasília com um balanço do Enem.

Com mais de 8 milhões de participantes, o Enem é a segunda maior prova do mundo, perdendo apenas para o chinês GaoKao

Confira a movimentação em São Paulo:

0

Últimas notícias