Museu cearense recebe fóssil de pterossauro encontrado no Paraná

O pterossauro, cujo nome científico é Caiuajara dobruski, viveu no sul do país entre 94 e 72 milhões de anos atrás

atualizado 22/09/2021 8:01

PterrossauroInstagram/Museu de Paleontologia Plácido Cidade Nuvens

O Museu de Paleontologia Plácido Cidade Nuvens, da Universidade Regional do Cariri (Urca), no Ceará, recebeu a doação do fóssil de um pterossauro encontrado em Cruzeiro do Oeste, no Paraná.

O material foi entregue ao museu cearense nesta semana. De acordo com pesquisadores da organização, a região de Cruzeiro do Oeste, no sul do país, é considerada uma das maiores aglomerações de pterossauros já encontradas no mundo.

Com a doação, o fóssil fará parte da coleção do museu cearense. O pterossauro, cujo nome científico é Caiuajara dobruski, viveu no sul do país entre 94 e 72 milhões de anos atrás.

Os fósseis encontrados na região pertenciam a 47 animais jovens e adultos, com envergadura de 0,65 a 2,23 metros. De acordo com a organização, esta é a primeira acumulação de pterossauros encontrada no Brasil, e a terceira no mundo.

“Entre as principais características anatômicas, está o fato de eles terem o bico, ou seja,  a parte final da mandíbula, mais inclinada para baixo do que os outros”, informam os pesquisadores do museu.

O material foi dado pelo professor doutor Luiz Carlos Weinschultz, coordenador do Centro Paleontológico da Universidade do Contestado, em Mafra, Santa Catarina.

Últimas notícias