Mulher que “sumiu” de hospital morreu de hemorragia interna, diz atestado

Valéria Muniz de Carvalho deixou a unidade de saúde sem ser vista. Corpo foi encontrado a mais de 2 km de distância do hospital

atualizado 25/09/2020 8:39

Valéria Muniz de Carvalho, de 52 anos, que saiu escondida do Hospital Salgado Filho, no Rio de Janeiro, morreu por hemorragia interna provocada por traumatismo no tórax e membros, após ação contundente, segundo o atestado de óbito da vítima. As informações são do G1.

A mulher estava internada no hospital e aguardava para realizar uma cirurgia no calcanhar. Porém, as câmeras de segurança da unidade médica mostraram Valéria saindo do local com o pé imobilizado, sozinha, às 5h de sábado (19/9), pelo setor de emergência. Posteriormente, Valéria foi encontrada morta em uma rua no bairro Cachambi.

Os familiares só souberam da morte de Valéria ao procurar informações sobre a mulher no Instituto Médico Legal, para onde o corpo foi levado.

O delegado responsável pela investigação já havia adiantado ao portal G1 que a morte tinha sido provocada por ação violenta, sem dar detalhes. O caso continua em investigação pela 23ª DP.

“Realmente, não temos muitos detalhes. Eu reconheci o corpo, minha irmã estava com o queixo roxo, tinha marcas também embaixo do braço e nas costas. Ela foi encontrada morta sem documentos, sem celular, vestida com a mesma roupa com que deixou o hospital. O laudo do IML disse que ela morreu de hemorragia interna devido a uma pancada. Agora estamos aguardando as investigações”, afirmou Vânia, irmã da vítima.

 

Últimas notícias