Mulher de DJ Rennan da Penha diz ser vítima de racismo em banco

A empresária Lorena Vieira relatou nas redes sociais que foi retirada da agência bancária por agentes da Polícia Civil

atualizado 31/01/2020 11:47

Reprodução/Instagram

A mulher do DJ Rennan da Penha, a empresária Lorena Vieira, denunciou nas redes sociais ter sido vítima de racismo em uma agência bancária. Segundo ela, funcionários a teriam acusado de cometer fraude por estar com o cabelo liso na carteira de identidade e aparecer no local com os fios enrolados.

“Fui retirada do banco Itaú pela Polícia Civil. Humilhada e esculachada por minha conta receber um bom dinheiro… Meu dinheiro está preso e eu quase fui presa do nada. Não é porque eu sou preta e humilde que sou criminosa”, relatou em conta no Twitter.

Segundo ela, os funcionários ficaram desconfiados e a fizeram esperar no local até o fechamento da agência, quando chamaram a polícia.

Com a repercussão do caso nas redes sociais, as hashtags #ItauRacista e Itaú estão entre as mais comentadas no Twitter Brasil.

Também nas redes sociais, o banco Itaú informou que entrou em contato com Lorena para resolver a situação. Disse ainda que “o procedimento adotado na agência é padrão em casos de suspeita de fraude e não tem qualquer relação com questões de raça ou gênero”.

Ao Metrópoles, o Itaú lamentou o ocorrido e explicou que o “objetivo era proteger os recursos de Lorena de possível fraude, uma vez que havia um bloqueio preventivo na conta corrente e era difícil identificá-la com o documento apresentado no caixa”. Acrescentou ainda que “acredita que toda forma de discriminação racial deve ser combatida”.

Últimas notícias