Mulher com tumor gigante é confundida com grávida: “Não aguento mais”

"Era bem atendida quando achavam que eu estava grávida. Quando percebiam que era um tumor, o atendimento mudava completamente", relata Elza

atualizado 19/10/2021 20:50

mulher com tumor no ovárioReprodução/Arquivo pessoal

Moradora de São Vicente, no litoral de São Paulo, Elza Mar Fidalgo de Jesus, de 38 anos, começou a sentir fortes dores na barriga em junho de 2021, e foi diagnosticada com um tumor teratoma, um tipo de câncer congênito formado por diferentes tecidos do corpo.

Desde o descobrimento da doença, Elza luta para conseguir uma cirurgia de remoção do tumor. “Era bem atendida nos hospitais quando achavam que eu estava grávida. Quando percebiam que era um tumor, o atendimento mudava completamente”, relata ela.

Em entrevista ao portal g1, Elza e seu marido, Ricardo, falaram sobre os meses de sofrimento para conseguir o procedimento. Mesmo antes de conseguir o diagnóstico, o abdômen da paciente começou a crescer muito, tornando comum a confusão sobre sua aparência.

Ricardo explicou que, com a piora do quadro clínico da esposa, decidiu largar o emprego. “Moramos só eu e ela. Não posso sair para trabalhar e deixar ela sozinha; ela precisa de mim para tudo agora”, afirma.

Devido ao tumor, ela também está com água na barriga, falta de cálcio, além de ossos e veias mais fracos. Recentemente, ao levantar da cama, ela trincou a costela, o que aumentou ainda mais suas dores. “Não aguento mais tanta dor”, afirma.

Para aliviar o sofrimento, a paciente precisa receber medicação na veia, porque o casal não tem condições para comprar remédios.

O casal conta que conseguiu marcar uma cirurgia para 14 de agosto. O procedimento aconteceria no Hospital Municipal de São Vicente, mas, dois dias antes, chegou a informação de que não havia vaga na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e o procedimento foi cancelado.

A Prefeitura de São Vicente, por meio da Secretaria de Saúde (Sesau), informou à reportagem que Elza teve a cirurgia cancelada porque o profissional que realizaria o procedimento precisou ser afastado por Covid-19. Na sequência, o médico entrou com pedido de licença-paternidade.

Mais lidas
Últimas notícias