MP denuncia homem que matou namorada a facadas e colocou fogo em Goiás

Segundo investigações, casal mantinha relações amorosas há apenas um mês quando o crime ocorreu

atualizado 08/03/2021 20:52

goias feminicidioReprodução/Polícia Militar de Goiás

Goiânia – Um crime por motivo fútil e com emprego de meio cruel. Foi assim que o Ministério Público de Goiás (MPGO) classificou o assassinato cometido por Ezequiel da Silva Menezes, de 28 anos, contra Bruna Regina Domiciano Moreira, de 22 anos, na denúncia oferecida por feminicídio.

O crime ocorreu por volta das 14h, no dia 14 de fevereiro de 2021, no município de Aparecida de Goiânia, na região metropolitana da capital goiana. Ezequiel esfaqueou e colocou fogo na companheira após uma discussão por ciúmes.

Conforme a denúncia, feita pelo promotor Milton Marcolino dos Santos Júnior, com base no apurado pelo inquérito policial, autor e vítima mantiveram um relacionamento amoroso por aproximadamente um mês antes do crime. No dia do fato, Ezequiel foi a casa de Bruna, onde tiveram uma discussão que teria sido provocada por ciúmes.

Durante a briga, o homem pegou uma faca e acertou a namorada. De acordo com a denúncia, enquanto Bruna agonizava no chão, Ezequiel colocou fogo no corpo dela e fugiu do imóvel. Ele foi preso em flagrante pela Polícia Militar.

Aos policiais, Ezequiel teria dito que houve uma briga entre o casal e negou que teria cometido o crime, não sabendo informar como ela se feriu.

Segundo a PMGO, Bruna foi encontrado por vizinhos. Ela estava desacordada e com queimaduras por todo o corpo em um dos cômodos do casa. Antes de ser preso, Ezequiel chegou a ser agredido por moradores da região, que se revoltaram com o crime.

Feminicídio
Em âmbito nacional, cinco estados brasileiros tiveram juntos, em 2020, 449 casos de feminicídio, ou seja, assassinato de mulheres cometidos em função da vítima ser do gênero feminino. A constatação é da Rede de Observatórios da Segurança, que monitora a violência nos estados de São Paulo, Pernambuco, da Bahia, do Rio de Janeiro e Ceará.

O estudo, publicado na última quinta-feira (4/3), mostra ainda que foram registrados 1.823 casos de violência contra a mulher (incluindo os feminicídios) nesses locais, o que dá uma média de cinco casos por dia. Em 58% dos casos de feminicídio e em 66% dos casos de agressão, os responsáveis eram os companheiros das vítimas.

Já em Goiás, segundo dados publicados pelo Anuário de Segurança Pública, o Estado teve aumento de 9,8% nos casos feminicídio entre os anos de 2018 e 2019. O estudo apontou que o número de feminicídios passou de 36 para 40 no período analisado.

O documento detalha ainda que o estado registrou mais de 14 mil casos de violência doméstica no último ano analisado, o que representa crescimento de 27% se comparado ao período anterior, quando foram mais de 11 mil casos desse tipo de crime.

Últimas notícias