MP administrativa: Onyx encontra Maia e Alcolumbre antes de votação

Para o presidente do Senado, a reforma é um sinal de que o Palácio do Planalto "respeita" o Parlamento

Marcos Corrêa/PRMarcos Corrêa/PR

atualizado 22/05/2019 15:31

Poucas horas antes da votação da Medida Provisória 870, batizada de MP dos ministérios, o chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, se reuniu com os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), para avaliar a situação da proposta.

 

Ele disse ter “tranquilidade” sobre a aprovação da MP nesta quarta-feira (22/05/2019) para trazer estabilidade aos ministros do governo. “Nosso pais já teve 39 ministérios. Com essa reforma, terá 22. O governo se sente plenamente satisfeito e compreende que o Parlamento vai fazer ajustes de acordo com a divisão ou capacidade das bancadas”, comentou.

“Ao invés de termos ministérios com cabide de emprego, teremos equipes ministeriais a serviço da sociedade, para atender as pessoas que precisam de um Estado eficiente e eficaz”, afirmou.

Lorenzoni lembrou da revogação da MP do ex-presidente Michel Temer (MDB) que cria a NAV, empresa que substituiria a Infraero, e comemorou a aprovação da medida 863 sobre a abertura das empresas aéreas para o investimento estrangeiro. “É essa a preocupação do governo de Bolsonaro, fazer com que a economia possa estar mais aberta e competitiva”, completou.

Para o chefe do Senado, a reforma administrativa é um sinal de que o Planalto “respeita” o Parlamento e o “papel relevante” do diálogo. “É esse o papel fundamental do governo, que confiou nessa MP como modelo de gestão capaz de tirar o Brasil desse atraso, diminuir as desigualdades e deixar o Estado mais enxuto”, continuou Alcolumbre.

Ele comentou que, apesar das divergências com o Parlamento, o governo tem o direito de seguir com a votação da MP para construir estrutura própria. Além disso, Alcolumbre comentou que conversou com Onyx e com Maia sobre a relação dos prazos das MPs no Senado. “Os senadores precisam ter mais tempo para se debruçar sobre as matérias”, afirmou.

Para Maia, a reforma administrativa e o bom relacionamento do Congresso com o Executivo podem contribuir para o desenvolvimento do país. “É o diálogo que vai fazer o Brasil voltar a crescer”, disse. Segundo ele, é preciso concluir logo a votação da MP para dar continuidade à reforma da Previdência.

 

 

Últimas notícias