Moro: Exército em prisão federal de Brasília é medida preventiva

O decreto de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) foi publicado nesta sexta-feira (07/02/2020) pelo presidente Jair Bolsonaro

atualizado 07/02/2020 13:54

viaturas na entrada da penitenciáriaRafaela Felicciano/Metrópoles

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, afirmou que a autorização para as Forças Armadas atuarem na área externa da Penitenciária Federal de Brasília é uma medida preventiva. Segundo ele, não há “nada concreto” sobre planos de fuga.

O decreto de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) foi publicado nesta sexta-feira (07/02/2020) pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e vale de 7 de fevereiro a 6 de maio. “Normalmente, quando alguém entra dentro desses presídios sempre há intenção de alguma forma escapar. Não existe nada concreto. Estamos tomando medidas preventivas”, afirmou.

O ministro garantiu não haver riscos à população. “O governo federal está se antecipando e tomando medidas severas. Não existe qualquer risco à população. São os criminosos que têm que temer o governo, e não o contrário”, destacou.

Moro e o presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Dias Toffoli, foram recebidos na manhã desta sexta-feira na embaixada da Espanha em coquetel servido como agradecimento pela extradição do terrorista Carlos García Juliá.

Uma das principais medidas de Moro à frente da pasta tem sido a transferência de criminosos considerados perigosos para presídios federais. Entre eles, Marcos Camacho, o “Marcola”, líder do PCC, que está preso na Papuda, penitenciária federal em Brasília.

Últimas notícias