metropoles.com

Moraes nega seguimento a recurso de Bolsonaro contra multa de R$ 5 mil

A defesa de Jair Bolsonaro (PL) pediu para que recurso tramitasse no STF, mas Alexandre de Moraes negou seguimento

atualizado

Compartilhar notícia

Marcelo Chello/Especial Metrópoles
Imagem colorida de Jair Bolsonaro indiciamento - Metrópoles
1 de 1 Imagem colorida de Jair Bolsonaro indiciamento - Metrópoles - Foto: Marcelo Chello/Especial Metrópoles

O ministro Alexandre de Moraes, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), negou seguimento a recurso de Jair Bolsonaro (PL) contra multa de R$ 5 mil aplicada pela Corte Eleitoral por propaganda negativa antecipada nas eleições de 2022. Bolsonaro tentou recorrer ao Supremo Tribunal Federal (STF), mas Moraes considerou que não há questão constitucional a ser tratada, e não cabe recurso.

Bolsonaro foi condenado a pagar multa de R$ 5 mil por ter feito campanha negativa contra Luiz Inácio Lula da Silva (PT), então concorrente na última eleição presidencial.

Na ação, os ministros do TSE decidiram aplicar a multa por considerarem ilícito de propaganda eleitoral negativa em peça na qual, com o uso de uma mão mostrando nove dedos, a campanha de Bolsonaro xingava Lula.

Foi realizada alusão à “vida pregressa imunda”, com indicação no discurso da recondução “do criminoso” “à cena do crime, juntamente com Geraldo Alckmin”, seguida da pergunta: “É isso que queremos para o nosso país?”.

Assim, o TSE considerou que “A fala impugnada, contendo adjetivação ofensiva à imagem de pré-candidato adversário e pedido explícito de não voto, constitui indevida antecipação de ato condizente com o período de campanha e, por isso mesmo, extrapola os limites permitidos pela legislação eleitoral e da livre manifestação de pensamento”

A defesa de Bolsonaro tentou recorrer do acórdão que determinou a multa, mas Moraes negou seguimento.

Compartilhar notícia