Principal causa das queimadas no Pantanal é o clima quente, diz Salles

Perícia realizada pelo Ciman-MT apontou que número recorde de incêndios na região se deve a ações humanas

atualizado 13/10/2020 11:45

Andre Borges/Esp. Metrópoles

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, disse nesta terça-feira (13/10) que o clima quente e seco é a principal causa das queimadas no Pantanal.

Segundo o Inpe, o Pantanal acumulou 8.106 focos de calor em setembro, superando em 35% o recorde histórico de 5.993, registrado em agosto de 2005.

Foi o maior número desde que o Inpe começou o monitoramento, em 1998. Neste ano, os focos na região somam 18.259, o triplo do observado em 2019.

“Grande parte desses incêndios não decorrem de más ações de produtores rurais, que vivem justamente da sanidade da sua propriedade”, afirmou.

“Ao reconhecer isso, nós sabemos que a principal causa é o clima quente, seco, e ventos fortes”, complementou Salles, em audiência pública no Senado Federal.

Para o ministro do Meio Ambiente, não pode haver nem “inação” nem “excesso” de fiscalização, mas aplicação da lei.

“Se essas pessoas tiverem as atividades inviabilizadas por excesso de voluntarismo, ou de aplicação de regras de maneiras desequilibradas, vamos gerar mais pobreza”, avaliou.

No entanto, os incêndios que atingem a região do Pantanal de Mato Grosso, há cerca de dois meses, foram provocados pela ação humana, segundo apontam perícias.

Os laudos foram realizadas pelo Centro Integrado Multiagências de Coordenação Operacional (Ciman-MT) e encaminhados à Delegacia de Meio Ambiente (Dema).

0

Últimas notícias