Óleo em praias é venezuelano, diz laudo de universidade da Bahia

Nenhum petróleo produzido no Brasil apresenta distribuição de biomarcadores similares aos encontrados nas amostras

Reprodução/WhatsAppReprodução/WhatsApp

atualizado 10/10/2019 17:53

O óleo achado no Nordeste é proveniente de bacia petrolífera da Venezuela, aponta laudo divulgado nesta quinta-feira (10/10/2019) pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Anteriormente, análises da Marinha e da Petrobras já haviam indicado que o poluente tinha origem no país vizinho. O governo Nicolás Maduro, porém, nega que o petróleo seja do país vizinho.

Conforme a diretora do Instituto de Geociências da universidade, Olívia Oliveira, a análise de amostras recolhidas no litoral da Bahia e de Sergipe, apresentou a presença de carbono e de biomarcadores que têm semelhança com um dos tipos de petróleo produzido na Venezuela.

Segundo ela, nenhum petróleo produzido no Brasil apresenta distribuição de biomarcadores similares aos encontrados nas amostras. Os biomarcadores são organismos que viveram em determinadas eram geológicas, possibilitando comparar as idades das bacias petrolíferas.

As pesquisas foram realizadas em parceria com a Universidade Federal de Sergipe (UFS). Foram analisadas nove amostras, sete delas colhidas no estado vizinho. As análise geoquímicas foram feitas no Laboratório de Estudos do Petróleo (Lepetro) da UFBA.

A cientista ressalvou que, por causa do longo período que o material está no mar, não é possível afirmar se as manchas são de petróleo cru. “Parece muito com petróleo cru, mas não descartamos que possa ser bunker, combustível de navio. É um óleo pesado, com certa degradação”, explicou, durante entrevista coletiva.

As análises serão encaminhadas para o Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema) da Bahia e colocadas à disposição dos órgãos que investigam o desastre.

Últimas notícias