“Nós estamos com uma tendência de queda”, diz Mourão sobre desmatamento

O vice-presidente afirmou que a previsão para a taxa de desmatamento, era maior do que a revelada pelo INPE na segunda (30/11)

atualizado 01/12/2020 12:30

Bruno Batista/ VPR

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão (PRTB), comentou na manhã desta terça-feira (1º/12), o aumento de 9,5%  na taxa de desmatamento na Amazônia. Segundo as informações do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), a área atingida já alcança 11 mil km².

“Nós estamos com uma tendência de queda, desde maio, quando iniciamos a Operação Verde Brasil. Tínhamos a expectativa de dar 20% acima do ano passado, deu 9.6%. Vamos continuar na pressão. Falei isso ontem com os colegas de vocês, em São Paulo: queremos chegar onde desejamos. Qual é o desejado? Que só aja o desmatamento permitido dentro da legislação, os 20% de cada propriedade, que não ocorra nada em unidade de conservação, em terra indígena e nem em terra pública”, afirmou Mourão sobre a reunião técnica de segunda-feira (30/11), com Clézio de Nardin, diretor do Inpe.

Ainda de acordo com Inpe, a área desmatada foi 9,5% maior do que os 10.129 km² registrados em igual período anterior, entre agosto de 2018 e julho de 2019. Trata-se da quarta alta consecutiva. “Minha avaliação é assim: nesse mês de novembro a tendência é ter uma queda de 50% em relação a setembro do ano passado. Era a projeção que nós tínhamos. São problemas antigos, que vieram se avolumando. Algumas coisas que vocês têm que saber, é que já tinha gente estabelecida na Amazônia, e em algum momento aquela área foi determinada como unidade de conservação ou terra indígena, então é uma briga constante para gente solucionar”, declarou o vice, sobre  áreas ilegais.

Mourão ainda comentou sobre os estados que compreenderam maior área desmatada segundo o Inpe. Segundo ele, o Conselho Nacional da Amazônia Legal tem o dever de concentrar esforços nesses focos. “A gente sabe que desses dados desse ano aí, 47% é Pará. Pará tem mais 5 mil km desmatado, aí depois tem 15% no Mato Grosso, 15% Amazônia, e só aí vc completa quase 80%. Então agora que a gente tem a noção exata dos lugares que ocorrem o maior número de ilegalidades, temos o dever de concentrar os esforços nessa área e deixar as outras de lado”, enfatizou.

0

Visita a São José dos Campos

Hamilton Mourão visitou na segunda-feira (30/11), à sede do Inpe em São José dos Campos, São Paulo. O vice-presidente foi ter uma estimativa do Projeto de Monitoramento do Desmatamento na Amazônia Legal por Satélite (Prodes), sistema do Estado brasileiro que monitora a Amazônia.

O ministro da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes,  explicou durante a solenidade que os dados do órgão vinculado à pasta, envolvem um trabalho intenso. “São dados auditados, que tem por trás deles um trabalho muito intenso”.

Na ocasião, a comitiva de Mourão também visitou o satélite brasileiro Amazônia 1 em sua última exposição na Terra, já que, será colocado em órbita terrestre, em fevereiro/2021, pelo lançador PSLV da ISRO a partir do Centro de Lançamento Sriharikota, na Índia. De acordo com o Inpe/MCTI, o Amazônia 1 é o primeiro desenvolvimento de satélite de Observação da Terra completamente projetado, integrado, testado e operado pelo Brasil.

Com informações da Agência Brasil

 

 

 

 

 

Últimas notícias