Mascarado e com peruca, preso se passou pela filha para tentar fugir

A jovem, de 19 anos, que visitou o pai em Bangu 3, no Rio de Janeiro, vai responder por facilitação de fuga

ReproduçãoReprodução

atualizado 05/08/2019 9:54

A filha de um traficante que tentou fugir da prisão com uma máscara de mulher, confeccionada em silicone, vai responder por facilitação de fuga, cuja condenação prevê pena de seis meses a dois anos de detenção. As informações foram publicadas em reportagem do jornal Extra.

Traficante e condenado a mais de 70 anos, Clauvino da Silva, 42, conhecido como Ronca ou Baixinho, tentou escapar do Complexo Penitenciário de Bangu, no Rio de Janeiro,  de uma maneira inusitada. Ele quis se passar pela filha, Ana Gabriele Leandro da Silva, 19, única visitante que o preso recebeu no sábado (03/08/2019).

Mas os planos fracassaram. Clauvino foi flagrado por agentes penitenciários quando tentava deixar o Presídio Gabriel Ferreira Castilho, conhecido como Bangu 3, no fim da visita. Além da máscara, usava roupas femininas e uma peruca de fios longos.

Na portaria da unidade, aos solicitarem a carteirinha da filha, Clauvino foi capturado. Os visitantes, quando entram nos presídios, deixam o documento de identificação, que só é devolvido na saída. Ana Gabriele, que foi detida e autuada em flagrante na 35ª Delegacia de Polícia (Campo Grande), vai responder pelo delito no Juizado Especial Criminal. Agentes prisionais acreditam que, após a fuga do pai, ela tentaria deixar o presídio alegando ter perdido sua carteirinha.

Um vídeo mostra o momento em que os agentes, desconfiados, obrigam o preso a tirar o disfarce. Ainda há suspeita sobre outras oito visitantes, uma delas grávida, que podem ter participado da tentativa de fuga. A Secretaria Estadual de Administração Penitenciária (Seap) acredita que a gestante pode ter levado o material, visto que ela não passa pela mesma revista corporal nem pelo mesmo scanner.

Assista:

O caso está sendo investigado pela 35ª DP, para onde os suspeitos foram levados no último sábado. Uma sindicância interna foi aberta para apurar as circunstâncias da tentativa de fuga. O traficante, de acordo com a pasta, sofrerá sanções disciplinares. Ele não responderá criminalmente pelo fato, pois só seria configurado delito previsto no Código Penal se a tentativa de fuga tivesse ocorrido com uso de violência.

No procedimento administrativo, o criminoso poderá receber uma punição por falta leve, média ou grave. A sanção tem consequências na concessão de benefícios ao preso, como progressão de regime.

Outra tentativa de fuga

Também conhecido como Baixinho, Clauvino estava preso na Galeria B7 de Bangu 3, que abriga os chefes da maior facção criminosa do Rio. Ele está condenado a 73 anos e 10 meses de prisão. No histórico do preso, constava uma fuga anterior. Clauvino foi um dos 31 presos que escaparam pelo esgoto do Instituto Penal Vicente Piragibe, no Complexo de Gericinó, em fevereiro de 2013.

Ele conseguiu fugir, mas ficou pouco tempo nas ruas. No mês seguinte à fuga, Clauvino foi preso com outros três cúmplices numa tentativa de invasão ao Morro da Fortaleza, em Angra dos Reis.

Últimas notícias