Marinha brasileira participa da busca de avião chileno

Autoridades chilenas acreditam que aeronave desapareceu quando sobrevoava o estreito de Drake, uma das travessias mais perigosas do mundo

DivulgaçãoDivulgação

atualizado 10/12/2019 21:46

A Marinha do Brasil está apoiando a operação de busca do avião Hércules C-130, da Força Aérea do Chile, que está desaparecido desde a madrugada desta terça-feira (10/12/2019). O avião militar decolou da cidade de Punta Arenas, no sul do Chile, por volta das 17h, rumo à Base Eduardo Frei, na Antártica, com 38 pessoas a bordo.

O voo até a base chilena na Antártica deveria durar duas horas e meia, mas, por volta das 18h13 as autoridades aéreas perderam contato com a aeronave.

Em comunicado divulgado na manhã desta terça, a Marinha brasileira informou que o navio polar Almirante Maximiano foi deslocado e está a caminho do possível local da queda da aeronave chilena.

Estreito de Drake
O avião chileno tinha autonomia de combustível de sete horas. O governo daquele país declarou o acidente à 1h15. Autoridades acreditam que o avião desapareceu quando sobrevoava o estreito de Drake, uma das travessias mais perigosas do mundo tanto para navios quanto para aeronaves.

O Almirante Maximiliano chegará ao possível local da queda do Hércules C-130 da Força Aérea chilena na manhã desta quarta-feira (11/12/2019).

Para auxiliar as ações de busca, a Marinha do Brasil informou que vai usar instrumentos de inspeção visual, além de um ecobatímetro, um equipamento capaz de atingir até sete mil metros de profundidade e realizar imagens do fundo do mar.

Últimas notícias