Maia: “Extinção do Ministério da Segurança foi erro do governo”

O presidente da Câmara avalia como positiva uma eventual decisão do presidente Bolsonaro de recriar uma pasta específica para a área

atualizado 22/01/2020 20:40

RODRIGO MAIAALOISIO MAURICIO/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse nesta quarta-feira (22/01/2020) que foi um “erro do próprio governo” de Jair Bolsonaro (sem partido) acabar com o Ministério da Segurança Pública.

“O fim do Ministério da Segurança Pública foi um erro do próprio governo. Eleito com a pauta da segurança pública, acabar com o ministério foi uma sinalização ruim para próprio governo”, argumentou Maia.

Para o deputado, se Bolsonaro decidisse recriar a pasta sinalizaria prioridade ao tema, que precisa de políticas públicas e ações pensadas para todos os estados. O presidente da Câmara afirmou ainda que, se o ministério voltar, não necessariamente gerará novas despesas à União.

Uma das justificativas de Bolsonaro quando decidiu enxugar a Esplanada dos Ministérios foi reduzir os gastos públicos. Entre as pastas excluídas estava a de Segurança Pública, criada em 2018 pelo ex-presidente Michel Temer. A área foi anexada ao Ministério da Justiça, comandada por Sergio Moro.

Nesta quarta, entretanto, o chefe do Executivo se reuniu com secretários de Segurança Pública dos estados, que pediram a volta do ministério. No encontro, Bolsonaro disse que estudaria a possibilidade.

Mais lidas
Últimas notícias