*
 

Apenas quatro dias após da deflagração da terceira fase da Carne Fraca, a Trapaça, que teve como alvo a BRF, o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, gravou nesta sexta-feira (9/3), um vídeo diretamente da linha de processamento de suínos da empresa, na unidade de Concórdia, em Santa Catarina. “Estou aqui onde, junto com a Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), estamos fazendo um novo modelo de inspeção para as carcaças de suínos”, diz ele no início do vídeo, vestindo trajes de segurança sanitária e capacete que leva o logotipo da empresa.

A companhia foi o principal alvo da mais recente investigação da Polícia Federal e o Ministério Público que apura se executivos e técnicos da exportadora mantinham um esquema sistematizado de fraudes em laudos e adulteração de dados para ocultação de informações ao Ministério da Agricultura.

No vídeo, Maggi diz que governo e a Embrapa estão testando na unidade da BRF um modelo piloto para o processamento e inspeção de carcaça. “Gostei muito do que vi. Dá mais tranquilidade e segurança para o consumidor final”, afirmou, sem entrar em detalhes. Segundo ele, o novo processo trará economia para as empresas e mais segurança para consumidores brasileiros e estrangeiros. “Tenho brigado muito no Ministério da Agricultura para a modernização”, diz ele.

Desde segunda-feira (5) três unidades da BRF, envolvidas na investigação, tiveram suas exportações embargadas pelo ministério para 12 países que possuem regras mais exigentes relativas à presença de salmonela na carne. As fábricas são a de Carambeí (PR), Rio Verde (GO) e Mineiros (GO). Diferentemente da primeira fase da Carne Fraca, nesta etapa, o Ministério da Agricultura participou desde o início da divulgação do caso.