Mãe se irrita com choro da filha, dopa, asfixia e mata menina

Aos policiais, a mulher de 30 anos contou que se estressou com o choro da menina e, para contê-la, usou a fita adesiva nos braços da garota

atualizado 26/11/2019 14:27

Uma mulher de 30 anos foi presa após confessar ter matado a própria filha de 2 anos asfixiada no Vale do Jequitinhonha, no nordeste de Minas Gerais. Segundo a Polícia Militar do estado, em um primeiro momento a mãe da menina chegou a dizer que a criança teria se engasgado com uma mamadeira.

Segundo reportagem do jornal mineiro O Tempo, os militares que atenderam o caso desconfiaram da primeira versão apresentada pela mãe quando encontraram na lixeira da cozinha mechas de cabelo da criança presas em fita adesiva.

Aos policiais, ela contou que se estressou com o choro da filha e para contê-la usou a fita adesiva amarrando os braços da criança, depois contou que deu remédio para dormir e usou uma meia para tampar a boca da menina no intuito de abafar o choro.

Após isso, segundo relatos da mulher, ela saiu para comprar mais fitas e quando retornou encontrou a criança morta. A autora conta que tentou reanimar a menina e a colocou no chuveiro, fez nebulização e massagem cardíaca, mas não teve sucesso.

Na residência, estava também a outra filha da mulher, de 1 ano, que foi encaminhada para Conselho Tutelar. Na delegacia, a autora revelou à assistente social que pretendia inicialmente matar também a outra filha e depois se suicidar.

Ela afirmou que sofre pressão psicológica do marido e faz tratamento. O pai das crianças, que é casado com a autora, não estava em casa no momento do crime.

A mulher foi encaminhada para uma unidade do sistema prisional. O corpo da menina passou por necrópsia no Instituto Médico-Legal (IML) e já foi liberado para a família.

Últimas notícias