Mãe que matou filhas em Goiás disse que fez “um bem” às crianças

“Na cabeça dela, tinha feito bem às crianças. Ela acha que livrou as meninas de viver uma vida que ela viveu”, disse o delegado do caso

atualizado 29/09/2022 16:19

Izadora Alves de Faria suspeita de matar as filhas Maria Alice, de 6 anos, e Lavínia, de 10, em Edéia, Goiás — Foto: PM/Divulgação Foto: PM/Divulgação

A Polícia Civil de Goiás ouviu Izadora Alves de Faria, a assassina confessa de suas duas filhas, Maria Alice, de 6, e Lavínia Souza, de 10, em Edéia (GO). De acordo com o delegado Daniel Moura, a mulher não se mostrou incomodada com o ato. 

“Na cabeça dela, ela tinha feito um bem para as crianças. Ela acha que livrou as meninas de viverem uma vida que ela viveu”, disse o delegado ao site G1. A defesa da mulher ainda não se manifestou sobre o caso. 

Após o depoimento prestado na quarta-feira (28/9), ela foi encaminhada ao presídio de Israelândia, onde passou por audiência de custódia e teve a prisão convertida para preventiva. Na decisão, o juiz Hermes Pereira Vidigal avalia que Izadora agiu de forma “fria, repugnante e cruel”, e que ela oferece risco se permanecer em liberdade.

Izadora explicou à polícia que envenenou, tentou eletrocutar as meninas dentro de uma caixa d’água com fios elétricos e, em seguida as afogou e deu facadas para garantir que elas tinham morrido. 

Se condenada, Izadora pode pegar até 100 anos de prisão.

Mais lidas
Últimas notícias