*
 

Uma mulher de 40 anos foi presa na cidade de Tocantinópolis, que fica no norte do Tocantins, acusada de consentir e auxiliar que o companheiro abusasse sexualmente da própria filha, de 13 anos.

O homem, de 33 anos, era investigado desde maio, de acordo com a Secretaria de Segurança do Tocantins, por suspeita de possuir uma arma e estuprar a enteada repetidamente, com anuência da mãe, há um ano.

A acusada chegou, inclusive, a construir um quarto para que os dois pudessem “namorar de forma mais tranquila”. Segundo a Veja, ela e o estuprador mantinham uma união estável há 9 anos. A mulher ainda esperava que a filha e o companheiro “casassem e tivessem filhos”.

 

O homem garantiu aos policiais que estava “namorando” a enteada. Além do Código Penal brasileiro determinar que qualquer ato sexual com menores de 14 anos, consentido ou não, é considerado estupro de vulnerável, a menina também assegurou que não permitia qualquer investida do padrasto.

O acusado foi preso em 28 de maio. A mãe, contudo, só foi para a prisão na última quinta-feira (28/6), depois que um mandado foi solicitado pela Delegacia Especializada da Criança e do Adolescente de Tocantinópolis. O casal deve permanecer preso até o término das investigações.