metropoles.com

Argentina: Lula pede por “presidente que goste da democracia”

Argentinos deverão escolher entre Javier Milei e Sergio Massa no domingo (19/11). Lula ressaltou a boa relação entre Brasil e Argentina

atualizado

Compartilhar notícia

Vinícius Schmidt/Metrópoles
Foto colorida mostra o presidente Luiz Inácio Lula da Silva - Metrópoles
1 de 1 Foto colorida mostra o presidente Luiz Inácio Lula da Silva - Metrópoles - Foto: Vinícius Schmidt/Metrópoles

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) disse respeitar “o direito soberano do povo da Argentina” ao votar nas eleições de segundo turno no próximo domingo (19/11). Entretanto, pediu aos cidadãos que levassem em conta a democracia e a América Latina.

“Queria pedir que lembrem que o Brasil precisa da Argentina e a Argentina precisa do Brasil. É preciso de um presidente que goste de democracia, que respeite as instituições, goste do Mercosul, da América do Sul e que pense na criação de um bloco importante”, disse no Conversa com o presidente, nesta terça-feira (14/11).

“Se a gente briga, não vai a lugar nenhum”, ressaltou Lula. “Juntos, somos fortes. Separados, somos fracos”, acrescentou. O presidente também destacou a boa relação diplomática construída entre os dois países.

0

No fim de semana, os argentinos deverão escolher entre o candidato ultraliberal Javier Milei e o peronista Sergio Massa para liderar a nação. Milei, economista e conservador, é considerado polêmico, com falas extremistas, promessas de romper com o Mercosul e “dinamitar”, ou seja, fechar o Banco Central da Argentina.

Enquanto isso, as bandeiras de Massa incluem defender os direitos humanos e equilibrar a economia argentina por meio de refinanciamentos com países como Brasil, China e Rússia.

A relação com o Brasil, inclusive, pautou um trecho do último debate entre Milei e Massa, no último domingo (12/11).

O peronista disse que “a política externa não pode ser regida por caprichos”, porque o adversário criticou Lula. “A ruptura com o Mercosul, a ruptura das relações com o Brasil e a ruptura das relações com a China representam 2 milhões de empregos a menos”, ressaltou Massa.

Milei rebateu: “Você tem um governo onde [o presidente] Alberto Fernández também não falava com Bolsonaro. Então, qual é o problema se eu falo ou deixo de falar com Lula?”.

Milei e Lula

Em entrevista a um jornalista peruano, Milei descreveu Lula como “corrupto e comunista” e indicou recusa em encontrar com o presidente brasileiro.

Se eleito, o conservador disse que romperia relações com todos os países “autocráticos” ou “ditaduras”.

Milei já revelou admiração pelo ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) e, em troca, Bolsonaro fez postagens de apoio ao candidato e disse que iria à posse caso Milei ganhe as eleições.

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comNotícias Gerais

Você quer ficar por dentro das notícias mais importantes e receber notificações em tempo real?

Notificações