Longevidade é ruim para os cofres, diz Guedes: “Querem viver 100 anos”

O ministro ainda declarou que "não há capacidade de investimento para que o Estado consiga acompanhar" a busca por atendimento médico

atualizado 27/04/2021 19:33

Ministro Guedes coletiva economiaHugo Barreto/Metrópoles

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou, nesta terça-feira (27/4), durante reunião do Conselho de Saúde Complementar, que a longevidade é insustentável para os cofres públicos. Para o chefe da pasta, “todo mundo quer viver 100 anos, 120, 130 anos”, e o Estado não aguenta.

Na ocasião, o ministro falou que não foi a pandemia que tirou a capacidade de atendimento do setor público, mas, sim, “o avanço na medicina” e “o direito à vida”.

Sobre a situação dos cofres públicos, o ministro ainda disse que o estado “quebrou” e que, diante da escassez de recursos, o setor público não terá capacidade de suprir à demanda crescente por atendimento na área da saúde.

“O Estado quebrou”, ressaltou Paulo Guedes. “Todo mundo vai procurar serviço público, e não há capacidade instalada no setor público para isso. Vai ser impossível.”

0

Últimas notícias