Lava Jato: Renan, Barbalho e Eduardo Braga são intimados a depor

A Polícia Federal também cumpre mandados de busca e apreensão autorizados pelo ministro do STF Luiz Edson Fachin

Rafaela Felicciano/MetrópolesRafaela Felicciano/Metrópoles

atualizado 05/11/2019 13:33

A Polícia Federal cumpre, nesta terça-feira (05/11/2019), mandados de busca e apreensão e medidas de sequestro de bens, assinados pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luiz Edson Fachin, relator da Lava Jato. Agentes também entregaram intimações para os senadores Renan Calheiros (MDB-AL), Eduardo Braga (MDB-AM) e Jader Barbalho (MDB-PA).

Os mandados decorrem de investigações na Corte Superior. A operação ocorre no âmbito do Inquérito nº 4.707, aberto em maio de 2018 para investigar denúncias de que 10 políticos do então PMDB (atual MDB) teriam recebido repasses ilegais da JBS em um valor total de R$ 40 milhões.

A denúncia foi feita em depoimentos do ex-dirigente da Transpetro Sérgio Machado e do ex-executivo da JBS Ricardo Saud.

Saud disse, em delação, que parte do dinheiro foi repassado via doações legais, mas que tudo se tratava de um acordo com o PT para compra de apoio parlamentar.

Entre os citados na investigação, está o senador Renan Calheiros. Ao Metrópoles, o advogado do parlamentar, Luis Henrique Machado, explicou que o “senador Renan não foi alvo de operação. Entregaram uma simples intimação para prestar esclarecimentos, nada mais que isso”.

O senador Eduardo Braga também confirmou o recebimento de uma intimação para às 10h desta terça-feira (05/10/2019). “Compartilho com vocês o documento de ‘agendamento de oitiva’, recebido por mim e por vários senadores. Alerto de que quaisquer outras informações que ultrapassem este agendamento trata-se de fake news. Como sempre, permaneço à disposição da Justiça e da verdade”, disse.

A assessoria do senador Jader Barbalho confirmou, em nota, que recebeu o emedebista recebeu a intimação e que entrou em contato com a PF para agendar nova data para ele ser ouvido, em Brasília, “quando prestará todos os esclarecimentos necessários”.

O advogado dele, José Eduardo Alckmin, informou ao Metrópoles que a intimação era para que ele fosse ouvido no mesmo horário de Braga, mas que o senador ainda estava no Pará. “Nós requeremos uma cópia atualizada do processo e também para remarcar a oitiva. Ele, claro, tem todo o interesse em esclarecer.”

Além dos três, o ministro do Tribunal de Contas da União Vital do Rêgo vai prestar depoimento à PF.

Aguarde mais informações.

Últimas notícias