STF arquiva denúncia contra Aécio Neves por corrupção na Lava Jato

Aécio Neves e outras quatro pessoas foram denunciadas pela PGR no STF por corrupção e lavagem de dinheiro no âmbito da Operação Lava Jato

atualizado 26/11/2022 20:05

O deputado federal Aécio Neves (PSDB) no plenário da Câmara dos Deputados. Ele usa terno e tem uma cara de preocupação. Ele era investigado no STF - Metrópoles Hugo Barreto/Metrópoles

O plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) arquivou denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR) contra o deputado federal Aécio Neves (PSDB-MG) e outras quatro pessoas por suposta participação em um esquema de corrupção investigado na Operação Lava Jato.

O julgamento foi iniciado no último dia 18 e concluído na sexta (25/11) pelo STF.

Ex-senador e ex-governador de Minas Gerais, Aécio Neves era acusado de receber R$ 65 milhões para atuar em favor do grupo Odebrecht e da construtora Andrade Gutierrez.

Além do tucano, também foram denunciados por corrupção e lavagem de dinheiro: Marcelo Odebrecht, ex-diretor da Odebrecht; Dimas Toledo, ex-diretor de Furnas; Alexandre Accioly, apontado como operador de Aécio Neves; e Ênio Silva, ex-funcionário da Odebrecht.

O suposto esquema de propina teria ocorrido, segundo a denúncia da PGR, em torno das contratações das usinas hidrelétricas de Santo Antônio e de Jirau.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
0

Relator da Lava Jato, o ministro do STF Edson Fachin destacou, em seu voto, que a denúncia do Ministério Público Federal (MPF) foi baseada, “apenas e tão somente, em declarações prestadas por colaboradores da justiça”.

Fachin foi acompanhado pelos outros 10 ministros, incluindo André Mendonça e Nunes Marques. O julgamento ocorreu no plenário virtual.

Veja o voto de Fachin:

5649470 by Carlos Estênio Brasilino on Scribd

Em nota, o advogado Alberto Zacharias Toron, defesa de Aécio Neves, afirmou que o tucano, mais uma vez, “foi vítima, durante cinco anos, de ataques e acusações, baseados em afirmações mentirosas agora desmascaradas”.

“Apesar da importante decisão da Justiça que repõe a verdade, é irrecuperável o dano causado à reputação de pessoas públicas quando se dá ares de veracidade a depoimentos de delatores sem qualquer comprovação, que mentem na busca da absolvição de seus próprios crimes”, acrescentou Toron.

O advogado destacou que Fachin afirmou que não foi apontada qualquer irregularidade que teria sido cometida por Aécio Neves e considerou uma “temeridade” a apresentação da denúncia, ontem rejeitada.

Mais lidas
Últimas notícias