PGR quer acesso integral a vídeo da reunião de Bolsonaro e Moro

O procurador-geral da República, Augusto Aras, enviou manifestação ao ministro do STF Celso de Mello, que impôs sigilo sobre o material

atualizado 09/05/2020 18:06

Procurador-geral da República, Augusto ArasMichael Melo/Metrópoles

O procurador-geral da República, Augusto Aras, pediu ao ministro do Supremo Tribunal Federal Celso de Mello a íntegra do vídeo da reunião ministerial do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), citada em depoimento do ex-ministro Sergio Moro.

A manifestação foi enviada na tarde deste sábado (09/05) ao ministro do STF. A íntegra do material é necessária, segundo Aras, “para orientar a autoridade policial e os procuradores nas oitivas” a serem realizadas.

Os ministros Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional), Walter Braga Netto (Casa Civil) e Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo) vão prestar depoimento sobre a reunião na próxima terça-feira (12/05). A deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP) também será ouvida.

“Em razão do exposto, o procurador-geral da República requer, preliminarmente, o encaminhamento, com as devidas cautelas e em caráter de urgência, da integralidade dos registros audiovisuais à Procuradoria-Geral da República para conhecimento, facultando-se à defesa dos interessados o acompanhamento da diligência”, escreveu Aras, no documento.

Veja a íntegra do documento:

5. INQ 4831 – Manifestação … by Tácio Lorran on Scribd

Governo cede

O governo federal entregou ao STF no fim da tarde de sexta-feira (08/05) o vídeo da reunião ministerial conduzida por Bolsonaro. O encontro, realizado no último dia 22 de abril, foi citado em depoimento de Moro à Polícia Federal (PF).

Ao receber o material da Advocacia-Geral da União (AGU), o ministro do STF, Celso de Mello, decidiu colocar sigilo sobre o HD externo encaminhado. O despacho foi assinado pelo decano às 20h15 de hoje.

0

De acordo com o despacho, o sigilo tem caráter “pontual e temporário”. O ministro Celso de Mello destaca ainda que vai levantar a confidencialidade do material, em “momento oportuno”, a depender do conteúdo.

Confidencial

Mais cedo, AGU pediu que o ministro não permita a divulgação do conteúdo integral do vídeo. Segundo a advocacia, o material contém assuntos potencialmente sensíveis e reservados de Estado, inclusive de Relações Exteriores.

Entenda

A reunião foi citada por Sergio Moro em depoimento feito no último sábado (02/05) na Polícia Federal, que teve duração de mais de 8 horas. O ex-ministro acusa o presidente Jair Bolsonaro de interferir politicamente na PF.

Durante a reunião, segundo Moro, o presidente teria apresentado o desejo de trocar o então superintendente da PF no Rio de Janeiro, Maurício Valeixo.

Valeixo foi exonerado do cargo, a contra-gosto de Moro, no último dia 24. Ao saber da demissão, o então ministro da Justiça anunciou, insatisfeito, a saída do governo federal.

Os ministros Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional), Walter Braga Netto (Casa Civil) e Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo) vão prestar depoimento sobre a reunião na próxima terça-feira (12/05).

A deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP), próxima ao presidente Jair Bolsonaro, também vai prestar depoimento na PF. Ela chegou a trocar mensagens com o então ministro Moro defendendo uma suposta indicação dele para o STF.

Últimas notícias